quinta-feira, julho 25, 2024
HomeSaúdeTabagismo e Câncer: Entenda a Ligação Entre Fumar e Outros Tumores

Tabagismo e Câncer: Entenda a Ligação Entre Fumar e Outros Tumores

O tabagismo é uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos de tabaco. Segundo dados do Vigitel 2023, aproximadamente 9,3% dos adultos com 18 anos ou mais no Brasil são fumantes. O Instituto Nacional do Câncer (Inca) afirma que o tabagismo está relacionado ao surgimento de diversos tipos de tumor, sendo o câncer de pulmão o mais comum, mas não o único.

De acordo com o oncologista William Nassib William Junior, o cigarro contém inúmeras substâncias com potencial cancerígeno. Quando inaladas, essas substâncias chegam facilmente aos pulmões e também são absorvidas pela corrente sanguínea. Isso aumenta não apenas o risco de desenvolvimento de câncer de pulmão, mas também o risco de cânceres em outros órgãos.

Outros tumores associados ao tabagismo

Além do câncer de pulmão, o tabagismo está relacionado a outros tipos de câncer. Entre eles estão o câncer de cabeça e pescoço, que inclui o câncer de boca, laringe e faringe; câncer de rim; câncer de colo de útero; câncer de fígado; câncer de bexiga; câncer de pâncreas; câncer de estômago; e câncer colorretal. Esses tumores têm seu risco aumentado devido à prática de fumar.

O câncer de bexiga, por exemplo, é fortemente associado ao tabagismo. Segundo o uro-oncologista André Berger, tabagistas têm três vezes mais chances de desenvolver esse tipo de câncer. Os principais sintomas de alerta para o câncer de bexiga são sangramento, aumento da frequência urinária e ardência ao urinar. O diagnóstico pode ser feito por meio de ressonância magnética e tomografia de abdômen e pelve.

Principais sintomas e diagnóstico de cânceres relacionados ao fumo

No caso do câncer de boca e laringe, substâncias presentes no tabaco entram em contato com as células da cavidade oral, provocando mutações que podem resultar em tumores. O Inca estima que haverá 15 mil novos casos de câncer de boca e 10 mil casos de câncer de laringe a cada ano até 2025.

O tabagismo também aumenta o risco de câncer de estômago, principalmente na região do adenocarcinoma da cárdia, parte do estômago próxima ao esôfago. Isso ocorre devido às substâncias cancerígenas presentes na fumaça do cigarro, que podem ser ingeridas e atingir o estômago. Em 2020, foram registrados 14 mil óbitos devido a esse tipo de câncer, e estima-se que haverá 21 mil novos casos por ano até 2025.

O diagnóstico precoce desses tumores é fundamental. Para a prevenção do câncer de bexiga, campanhas de cessação do tabagismo, controle de exposição a agentes químicos, como benzeno, e conscientização sobre a doença são necessários. Para os demais tipos de câncer relacionados ao tabagismo, é importante que a população fique atenta aos sintomas e realize exames de imagem para um diagnóstico preciso.

Tabagismo Passivo: Risco e Consequências

Definição e impacto do tabagismo passivo

O tabagismo passivo ocorre quando uma pessoa inala a fumaça gerada pela combustão de produtos de tabaco. Segundo entidades internacionais de câncer, essa fumaça contém mais de 7 mil compostos e substâncias químicas, das quais pelo menos 69 podem provocar câncer. A fumaça inalada pelo não fumante possui uma quantidade maior de nicotina, monóxido de carbono e substâncias cancerígenas em comparação com a fumaça inalada pelo fumante.

Compostos químicos danosos presentes na fumaça do tabaco

Diversas substâncias químicas presentes na fumaça do tabaco são prejudiciais à saúde. Entre elas estão o benzeno, formaldeído, acroleína e nitrosaminas. Essas substâncias entram em contato com as células da cavidade oral e podem provocar mutações que levam ao desenvolvimento de tumores.

Diferenças na exposição e prevenção do câncer entre fumantes e não fumantes

Enquanto os fumantes têm um risco direto de desenvolver câncer devido à inalação da fumaça, os não fumantes que convivem com fumantes também correm risco. O tabagismo passivo está associado a um maior risco de desenvolvimento de câncer, devido à inalação constante dos compostos químicos danosos presentes na fumaça do tabaco.

A proteção contra o câncer relacionado ao tabagismo passivo pode ser alcançada com a conscientização sobre os perigos do tabagismo e a implementação de políticas públicas que restrinjam o fumo em locais fechados. Além disso, a cessação do tabagismo beneficia tanto os fumantes quanto os não fumantes, reduzindo o risco de desenvolvimento de câncer e melhorando os resultados do tratamento.

Políticas de Controle e Prevenção do Tabagismo

Incidência e mortalidade dos cânceres associados ao tabagismo no Brasil

No Brasil, o câncer de pulmão está diretamente relacionado ao tabagismo. Segundo dados da Fundação do Câncer, o cigarro é responsável por 80% das mortes por câncer de pulmão em homens e mulheres no país. Estima-se que, neste ano, serão diagnosticados 18 mil novos casos desse tipo de câncer em homens e 14 mil casos em mulheres. É importante ressaltar que o tabagismo também está associado a outros tipos de câncer, conforme mencionado anteriormente.

Necessidade de conscientização e orientação médica para cessar o hábito

Os altos índices de diagnóstico de cânceres relacionados ao tabagismo mostram a necessidade de conscientizar a população sobre os perigos do hábito de fumar. É fundamental compreender os impactos negativos que o cigarro traz para a saúde e buscar orientação médica. Atualmente, existem tratamentos eficazes disponíveis para quem deseja abandonar o tabagismo.

Importância da cessação do tabagismo na prevenção e tratamento do câncer

A cessação do tabagismo é crucial para reduzir o risco de desenvolvimento de câncer, bem como para obter melhores resultados no tratamento do câncer, com menor chance de recidiva. Além disso, políticas públicas de controle ao tabagismo desempenham um papel fundamental na prevenção da doença.

É importante destacar que o cigarro eletrônico também representa uma ameaça à saúde pública, podendo iniciar os jovens no tabagismo e tornar as pessoas dependentes de nicotina. A proibição de venda desses produtos no Brasil, determinada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é uma medida importante para proteger a população.

Diante dos alarmantes números de câncer relacionados ao tabagismo, é essencial que a sociedade se una no combate a esse hábito prejudicial à saúde. A prevenção começa pela conscientização dos malefícios do tabaco e pela busca de tratamentos eficazes para cessar o tabagismo.

LEIA TAMBÉM

Últimas Notícias