sábado, julho 13, 2024
HomePerguntasO que é o Follow On?

O que é o Follow On?

O mercado financeiro está repleto de termos e conceitos que podem parecer complexos para quem não está familiarizado com ele. Um desses termos é o “Follow On”. Entender o que ele significa e como funciona pode ser crucial para investidores e empresas que desejam captar recursos adicionais.

O que é o Follow On? O Follow On é uma oferta subsequente de ações que uma empresa faz após sua oferta pública inicial (IPO). Em outras palavras, é quando uma empresa que já possui ações negociadas na bolsa decide emitir novas ações para captar mais recursos. Esse processo pode ser utilizado para diversas finalidades, como expansão dos negócios, redução de dívidas ou financiamento de novos projetos.

Existem dois tipos principais de Follow On: o primário e o secundário. No Follow On primário, a empresa emite novas ações, aumentando assim o número total de ações em circulação e diluindo a participação dos acionistas existentes. Já no Follow On secundário, os acionistas atuais vendem suas ações, sem que haja a emissão de novas ações pela empresa.

Vantagens do Follow On

Uma das principais vantagens do Follow On é a possibilidade de captação de recursos adicionais sem a necessidade de contrair dívidas. Isso pode ser particularmente benéfico para empresas que desejam expandir suas operações ou investir em novos projetos. Além disso, o Follow On pode aumentar a liquidez das ações da empresa no mercado, facilitando a negociação para os investidores.

Outra vantagem é a possibilidade de atrair novos investidores. Com a emissão de novas ações, a empresa pode aumentar sua base de acionistas, o que pode trazer mais estabilidade e diversificação para a estrutura acionária. Isso pode ser especialmente importante em momentos de alta volatilidade no mercado.

Desvantagens do Follow On

No entanto, o Follow On também apresenta algumas desvantagens. Uma delas é a diluição da participação dos acionistas existentes. Quando novas ações são emitidas, o valor da participação de cada acionista pode ser reduzido, o que pode não ser bem-visto por todos os investidores. Além disso, a emissão de novas ações pode gerar pressão vendedora no mercado, o que pode levar a uma queda no preço das ações.

Outro ponto a ser considerado é o custo do processo. Realizar um Follow On envolve uma série de despesas, como taxas de corretagem, custos legais e de marketing. Esses custos podem ser significativos e devem ser levados em conta pela empresa ao decidir pela realização de uma oferta subsequente.

Em resumo, o Follow On é uma ferramenta importante para empresas que desejam captar recursos adicionais no mercado financeiro. No entanto, é fundamental que tanto a empresa quanto os investidores estejam cientes das vantagens e desvantagens desse processo para tomar decisões informadas e estratégicas.

Perguntas Frequentes: