Publicado em: quarta-feira, 13/03/2013

Yahoo questiona rigor excessivo de Presidente-executiva em contratações

Yahoo questiona rigor excessivo de Presidente-executiva em contrataçõesA presidente-executiva Marissa Mayer do Yahoo, foi perguntada durante uma reunião interna da empresa, há algumas semanas, se existe a possibilidade de que as práticas rigorosas que ela usa para a contratação de pessoas possa ter levado que a empresa perdesse engenheiros com talentos, no altamente competitivo mercado para empregos no Vale do Silício.

Mayer fez rejeição a estas queixas, pois eles não contavam com diplomas de universidades que eram prestigiadas, e ainda rebateu fazendo desafios para que o seu pessoal trabalhe de melhor forma durante o recrutamento, conforme aponta um funcionário que esteve presente na reunião.

Mayer questionou o motivo de a empresa não poder melhorar na hora de fazer contratações, e ela ainda fez alusão para um diálogo do filme Say Anything, que ela disse ser um dos favoritos dela, segundo falou o funcionário que pediu sigilo, pois não tinha autorização para que discutisse assuntos que são internos no Yahoo.

Esta pergunta, conforme com fontes que conhecem o Yahoo, refletem as preocupações dos gerentes de contratações e de outros funcionários, sobre a forma que Mayer, que assumiu o cargo de presidente-executiva no mês de julho de 2012, mudou as práticas nas contratações, em parte do esforço para que transforme cultura e força de trabalho do Yahoo.

Mayer ainda insiste em fazer a revisão pessoalmente das novas contratações, prática está que os defensores dizem que é necessária para que reforce a disciplina da empresa. Críticos, porém, estão afirmando que o rigor dos padrões dela está fazendo com que fique ainda mais complicado completar as vagas que o Yahoo já conta com certa tem dificuldade para preencher.

Mesmo antes que houvesse controvérsia na decisão de Mayer de que fosse proibido o teletrabalho a funcionários do Yahoo, durante o mês de fevereiro, a empresa já estava com problemas sobre a percepção de que o momento havia passado, conforme apontam consultores que realizam o recrutamento.

Fora isso, o Yahoo está enfrentando grande concorrência em busca de talentos no Vale do Silício, onde os rivais Google e Facebook são os que mais atraem os trabalhadores e empresas que estão começando podem oferecer para os novos contratados, atrativos como ações numa futura oferta pública. O Yahoo não quis fazer comentários sobre isto e nem disponibilizou Mayer para que realizasse uma entrevista.

Ela disse para investidores no mês de janeiro que a empresa estava tendo aumento em volume e qualidade de candidatos para trabalho no Yahoo, e que o atrito envolvendo o talento de melhor desempenho era bem menor do que o que havia no passado.

Mesmo com isso, a empresa conta com aproximadamente 900 vagas de trabalho que estão abertas, o que chega a representar aproximadamente 8 por cento da força de trabalho, que chega a ser de 11,5 mil pessoas, conforme o website da empresa. Algumas destas vagas estão em aberto há vários meses. Para uma comparação, o Google conta com quase mil vagas abertas, porém isto representa apenas 2% da força de trabalho da empresa, que cerca de 4 vezes mais empregados do que o Yahoo.