Publicado em: segunda-feira, 24/10/2011

WikiLeaks suspende atividades por tempo indeterminado por questões financeiras

O site WikiLeaks, desenvolvido por Julian Assange para publicar documentos sigilosos que “vazam” na internet, anunciou que vai suspender por tempo indeterminado a publicação de informações novas por falta de recursos financeiros. Em nota oficial, os organizadores explicam que desde o bloqueio das operadoras financeiras, como Visa, Mastercard, Western Union e PayPal, o site não consegue receber doações para arrecadar quantidade suficiente para manter o projeto em funcionamento.

O comunicado foi divulgado no próprio site e explica que: “para que possamos garantir nossa sobrevivência futura, o Wikileaks foi forçado momentaneamente a suspender as publicações e operações para que seja possível lutar contra este bloqueio e seus responsáveis. Já demos início às ações legais contra o bloqueio na Islândia, Dinamarca, Reino Unido, Bélgica, Estados Unidos e Austrália. Também enviamos uma reclamação antitruste para a Comissão Europeia e aguardamos a decisão para meados de novembro, para que as autoridades abram uma investigação completa contra a Visa e Mastercard”.

O bloqueio contra o WikiLeaks começou em 2010, quando o site publicou mais de 250 mil documentos diplomáticos dos Estados Unidos, país onde muitas das operadoras tem sede. Por isso, as empresas financeiras decidiram ceder à pressão do governo norte-americano e pararam de receber doações para o site.

O site vem sobrevivendo há 11 meses com dinheiro de reserva do site, mas agora é necessário suspender as atividades até que consigam resolver tal impasse. Além da questão do bloqueio, Assange está sendo processado por estupro e violência sexual, acusações feitas por duas mulheres na Suécia.