Publicado em: domingo, 16/06/2013

Walcyr Carrasco responde críticas sobre enfermeiras em Amor à Vida

Sempre que uma novela retrata alguma profissão da vida real de forma bastante direta e detalhada, a trama recebe um número grande de reclamações dos profissionais da área. Depois de ouvir e receber críticas de ex-chacretes e corretores de imóveis, a nova trama das nove, Amor à Vida, agora é alvo de enfermeiros, que não estão satisfeitos quanto a forma que estão sendo representados na novela.

A assessoria de imprensa do Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro (Coren-RJ), informou que diariamente tem recebido cobranças de profissionais da categoria quanto os erros de procedimento que são exibidos nas novelas, além de muitas reclamações sob a postura de uma personagem que consideram muito caricata, a enfermeira Ordália, vivida por Eliane Giardini. As reclamações tem chegado ao órgão de diferentes formas: telefone e emails, mas principalmente pelo uso das redes sociais.

O presidente do órgão Coren, Pedro de Jesus, pretende realizar um encontro com Walcyr Carrasco, autor da novela, para sugerir algumas mudanças na forma como a categoria vem sendo representada. Ele garante que o diálogo para estreitar os laços entre ficção e realidade são muito positivos, defendendo ainda que por ser uma profissão exercida nos limites entre a vida e a morte, ela merece ser tratada corretamente para a população nas telinhas de TV brasileiras.

O autor Walcyr Carrasco, entretanto, garante que os autores precisam ter sua liberdade de criação. Ela comenta que se as reclamações dão conta da falha de uma enfermeira, isso não significa que todos os profissionais comentam erros, apenas de que todos são humanos e passíveis de falha, assim como pode acontecer com os corretores de imóvel, argumentou o autor.

Ele ainda destacou que os personagens tem profissões porque não podem viver sem trabalhar, mas que o papel da novela não é ficar exaltando nenhuma categoria profissional, apenas contar uma trama.