Publicado em: terça-feira, 09/08/2011

Violência na Inglaterra: protestos continuam e fazem primeira vítima

Homem baleado durante manifestações violentas em Londres, no subúrbio de Croydon, morreu nesta terça-feira (09) e se tornou a primeira vítima fatal após três dias consecutivos de protestos nas cidades britânicas. A vítima foi baleada enquanto estava dentro de um carro durante as manifestações e os seus ferimentos teriam sido a causa da morte. No mesmo subúrbio, vários prédios foram queimados. Até o momento, não há mais informações disponíveis sobre a vítima.

Na mesma terça-feira, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, retornou antes do previsto do recesso de verão do Parlamento para realizar reuniões e presidir um comitê cujo objetivo é discutir novas medidas para conter as manifestações. Por ter completado três dias consecutivos, o premiê já estava sendo criticado por não ter voltado das suas férias. Em pronunciamento realizado hoje com jornalistas, o premiê informou que o número de policiais em Londres vai aumentar para 16 mil.

Os bombeiros informaram ontem que chegou a um ponto em que eles não tinham mais carros para saírem às ruas e apagarem os incêndios iniciados pelos manifestantes. Com isso, a polícia precisou chamar reforços de outras cidades para ajudarem a contar a onda de violência nos principais focos. Para os oficiais da Inglaterra, a noite de segunda-feira (08) foi a pior que o país já viu.

Os protestos começaram na quinta-feira (04) quando um morador do bairro de Tottenham, ao norte de Londres, foi morto em um tiroteio com a polícia. Dando sequência às manifestações contra a polícia, no domingo foi quando começaram os atos de violência e vandalismo.