Publicado em: terça-feira, 20/03/2012

Vigilantes mantêm greve no Rio de Janeiro

A greve dos vigilantes iniciada há uma semana por todo o estado do Rio de Janeiro, deve continuar pelo menos até esta terça-feira (20), quando acontece a primeira audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). As informações são do vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro (Sindvig), Antônio Carlos de Oliveira, que também coordena a greve. A decisão foi adotada na manhã de segunda-feira (19) em uma assembleia feita com integrantes do sindicato.

“Nós decidimos manter a greve porque nós aguardávamos para esse domingo [18] que o sindicato dos empresários oferecesse uma proposta mais aceitável para a categoria. Como essa proposta não aconteceu, e permanece a proposta apresentada na quarta-feira, que é a de reduzir o risco de vida da categoria, nós decidimos manter a greve até que o sindicato patronal resolva fazer uma proposta convincente para a categoria,”, explicou.

Ainda segundo ele, desde que a greve teve início, o Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp), não tem mostrado nenhuma preocupação em colocar um fim na paralisação. Os representantes do sindicato chegaram a faltar a duas mesas de negociação do Ministério do Trabalho, ocorridas nos dias 16 e 29 de fevereiro, além de uma terceira reunião, que havia sido marcada para este final de semana, mas foi cancelada por causa da desistência dos sindicalistas.

As reivindicações dos vigilantes são um reajuste salarial de 10%, e a reposição inflacionária do período, além de 30% do risco de vida, acréscimo do auxílio alimentação de R$ 8,50 para R$ 16,5 e assistência médica.