Publicado em: sexta-feira, 11/05/2012

Vigilância proíbe venda de esfihas no Habib’s de Porto Alegre

A vigilância sanitária da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, proibiu na última quinta-feira (10) a comercialização de esfihas em todos os estabelecimentos do Habib’s na cidade. Isso ocorreu devido a um laudo que identificou nos recheios de carne, espinafre e queijo das esfihas, bactérias que causam vômitos, diarréias e até aborto. Os itens vinham de uma central em Canoas, na região metropolitana.

De acordo com a Secretaria de Saúde de Porto Alegre, a proibição vale somente para os recheios que vierem desta central. O Habib’s tem permissão para continuar vendendo outros produtos, inclusive esfihas, mas apenas se o recheio não vier de Canoas.

Paulo Casa Nova, chefe da equipe de vigilância de alimentos em Porto Alegre, conta que essa contaminação foi descoberta após uma família registrar queixa na vigilância sanitária, no dia 16 de abril. Os três consumidores fizeram um lanche no Habib’s do bairro Floresta, no dia 14 de abril, e depois disso todos passaram mal, apresentando vômitos e diarreia.

Exames foram feitos pelo Laboratório Central do Estado identificaram que no recheio das esfihas tinha três tipos de bactérias patogênicas: Bacillus cereus, Listeria monocytogenes e Escherichia coli. A proibição do comércio do recheio é visto como uma medida preventiva. Será feita ainda uma vistoria da central em Canoas, para saber se há contaminação em outros alimentos produzidos ali. Pode ser que o problema era apenas em um lote e se estiver tudo certo na central, tudo volta ao normal.

O Habib’s declarou que agora os recheios das esfihas estão vindo de uma central em Curitiba. Através de uma nota, a rede informou que o fato é “um caso isolado”. A empresa foi autuada pela Vigilância Sanitária de Porto Alegre e sofrerá um processo administrativo. Depois disso, O Habib’s ainda pode ser punido com multa, advertência ou até interdição.