Publicado em: terça-feira, 08/05/2012

Videogames tiram crianças das ruas na Somália

A paixão por jogos de videogame está fazendo com que as crianças da Somália não saiam mais para as ruas e fiquem mais em casa. Esta se tornou a opção preferida dos jovens no país após o grupo al-Shabab deixar o controle da capital Somali. Não saindo para as ruas, as crianças não são recrutadas pelos militantes que restaram do grupo.

No período em que o al-Shabab, grupo ultraconservador, estava no poder, filmes e games não eram permitidos. Mas agora, depois que as tropas da capital e a União Africana conseguiram expulsar os militantes de Somali, as crianças do lugar podem se divertir livremente no PlayStation.

Longe das ruas e da escola

Da mesma maneira que os jogos do videogame deixam os jovens longe dos militantes do al-Shabab, eles fazem com que estas crianças também deixem de ir para a escola. Os pais de alguns jovens afirmam que eles não vão para as aulas para passarem mais tempo brincando em frente à televisão. Os militantes do al-Shabab usavam as escolas da capital para recrutarem os jovens, e isso fez com que muitos parassem de ir para a escola.

Aqueles que têm um pouco mais de dinheiro compram os consoles dos videogames para poderem jogar em suas próprias casas. Mas aqueles que não têm condições de comprar também não ficam de fora. As locadoras especializadas em jogos disponibilizam os aparelhos para que os jovens possam jogar pagando uma taxa pequena.