Publicado em: sábado, 03/11/2012

Vestido de casamento de Amy Winehouse é roubado

Na última semana, Micht Winehouse, pai da cantora falecida Amy Winehouse confirmou que a casa onde ela morada na região de Camden Town, em Londres sofreu um assalto. Durante a invasão dois vestidos usados pela cantora foram levados. Entre eles estava o que Amy usou quando se casou com Blake Fielder-Civil.

A união havia acontecido no ano de 2006 em Miami. Amy morreu em julho do ano passado, quando tinha 27 anos. Seu corpo foi encontrado no quarto. Micht falou para o “The Sun” que fica revoltado ao saber que alguém roubou algo que tem pouco valor financeiro, mas que tem grande importância para a família de Amy, por causa do valor sentimental.

O outro vestido levado tinha uma estampa de jornais. Amy havia usado a roupa quando participou do programa de entrevistas de Jools Holland, para a BBC da Inglaterra no ano de 2006. As duas peças iriam a leilão na cidade de Nova York. O dinheiro que seria arrecadado tinha como destino a Fundação Amy Winehouse, que busca ajudar pessoas que lutam contra o vício das drogas.

A fundação já conseguiu arrecadar mais de R$ 3,5 milhões. A expectativa é que o vestido de noiva fosse vendido por R$ 330 mil e o outro vestido conseguira lances na faixa de R$ 90 mil. Micht disse que a casa onde a filha vivia será vendida e por isso os itens que estão lá dentro já foram catalogados.

Ele explicou que enquanto as roupas estavam sendo catalogadas houve dois dias de brecha para que os ladrões pudessem fazer o roubo. Ele lembra que são poucas pessoas envolvidas neste processo, mas que a casa ficou movimentada durante o período. Micht disse que outros itens estão sendo analisados para ter certeza de que nada mais foi levado.

Para completar, ele contou que sua família se chocou com o fato de os vestidos terem sido levados, contando que no local estão dois vestidos da grife Dolce & Gabbana, que valem muito mais. Entretanto o vestido de noiva era simples, feito de algodão e que na verdade não custava mais de cem libras. Por isso ele acredita que quem roubou sabia que as peças tinham importância singular para a família.