Publicado em: quinta-feira, 03/01/2013

Vereadora que desapareceu após tomar posse em Ponta Grossa é acusada de simular o próprio sequestro

Vereadora que desapareceu após tomar posse em Ponta Grossa é acusada de simular o próprio sequestroDesaparecida desde a terça-feira (1º), a vereadora Ana Maria Branco de Holleben (PT) da cidade de Ponta Grossa (PR) reapareceu durante a tarde de quarta-feira (2) e foi presa pelo grupo antissequestro T.I.G.R.E. acusada simular o próprio sequestro. Conforme o delegado Luiz Alberto Cartaxo, Ana Maria, que foi reeleita para o terceiro mandato durante o último ano, fingiu o sequestro para não votar na eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal da cidade. Cartaxo afirmou que não houve sequestro, e sim uma simulação, que tinha o objetivo de que os interesses da candidata fossem resguardados e ela não votasse na eleição da Mesa Diretora da Câmara.

Holleben é da bancada de oposição do prefeito eleito, Marcelo Rangel (PPS), que disputou a eleição contra o deputado estadual Péricles de Mello (PT), o primo da vereadora, durante o pleito de 2012. Para a eleição haveriam 11 vereadores da oposição, e 12 da situação, e devido ao sequestro, a sessão que iria escolher a direção da Câmara, que seria realizada durante à noite de terça foi suspensa. O bloco da oposição não compareceu, e a votação foi adiada devido a falta de quórum. O falso sequestro, conforme apontou o delegado, foi relatado em um depoimento prestado pelo motorista da vereadora Idalécio Valverde da Silva, e da mulher dele Suzicleia Valverde da Silva. Conforme Cartaxo, os dois contaram como foi a trama.

A polícia investiga se existiram outros políticos que participaram da ação. A vereadora ficou em desaparecida durante 24 horas e reapareceu na Santa Casa de Ponta Grossa, apresentando um delicado estado de saúde, conforme aponta a polícia. A vereadora do Partido dos Trabalhadores foi presa em flagrante e vai ser autuada pelos crimes de falsa comunicação de crime, fraude processual e também de formação de quadrilha, junto com outras quatro pessoas que fizeram parte deste falso sequestro.