Publicado em: segunda-feira, 23/06/2014

Vereador de Tóquio se desculpa por ofensa à colega

Vereador de Tóquio se desculpa por ofensa à colegaO vereador Akihiro Suziki se retratou com a vereadora Ayaka Shiomura por manda-la arrumar um marido. Ele proferiu a ofensa enquanto ela falava sobre algumas medidas no Japão para o aumento da fertilidade. O parlamentar se desculpou com a colega nesta segunda-feira, dia 23 de junho. As palavras do vereadora acabou por constranger o governo já que e luta é para aumentar a força de trabalho das mulheres.

A vereadora Ayaka Shiomura tem 35 anos e estava falando que apoia as famílias terem crianças e aumentar a fertilidade no Japão. Ela dez o pronunciamento durante uma sessão da Câmara na última semana. Por incrível que possa parecer, os homens que estavam no local não a respeitaram e a interromperam dizendo frases para sugerir a ela mesma para se casar o quanto antes e questionando se ela não poderia engravidar.

A princípio, o vereador Akihiro Suzuki tinha negado ser o autor de alguns desse comentários. Mas, depois aproveitou uma coletiva de imprensa para se desculpar e até chegou a dizer que o seu comentário foi mesmo inadequado. Akihiro, de 51 anos, ainda falou que não teve nenhuma intenção de ofender a colega.

Akihiro disse que o seu comentário não atentou para mulheres que querem se casar, mas não podem e também para aquelas que até gostariam de se tornar mãe, mas não podem. A população japonesa mostrou indignação em relação ao comentário do vereador. Além disso, os representantes do Partido Liberal Democrático também ficou irritado com a situação. Isso porque os comentários ocorreram em uma fase que o governo está anunciando os planos econômicos.

O Japão quer aumentar a presença da mulher no mercado de trabalho, já que o pais ainda é considera que o lugar das mulheres é cuidando da casa e há falta de mão-de-obra. O governo quer aumentar a presença feminina de 7,5% para 30% até o ano de 2020. Os planos também incluem a criação de 400 mil vagas em creches para que as mulheres deixem as crianças e consigam trabalhar.