Publicado em: segunda-feira, 27/01/2014

Vendas do fim de ano da Apple devem bater recorde

Vendas do fim de ano da Apple devem bater recordeAinda hoje, a Apple deve divulgar o resultado trimestral de vendas do fim de ano. Os números devem bater recorde, marcando a sua temporada mais bem sucedida nas vendas de iPads e iPhones.

Mas, mesmo com o sucesso, a marca não vai deixar com que os investidores da China fiquem desconfiados sobre as vendas, já que o país é uns dos primeiros mercado da Apple, sendo um peso para os altos números registrados pela empresa nos últimos meses. A Samsung Electronics e outras empresas rivais estão tomando o espaço da fabricante dos iPads e iPhones, porém, um acordo realizado entre a Apple e a China Mobile deve dar frutos para a indústria em 2014.

Mesmo surpreendendo as expectativas de Wall Street, a Apple precisa ter um ótimo trimestre de vendas para conseguir impulsionar o valor de sua ação, pois, só neste ano a marca já acumula queda de 3%.

Ao longo do ano, os investidores vão esperar pelas novidades que a empresa irá apresentar. Nos bastidores, o que corre é que a marca lançara um SmarthWathch, que irá concorrer diretamente com os aparelhos de telas maiores, como o Samsung S4, já que o modelo deste novo iPhone será assim, tendo a tela de 5,4 polegadas.

As especulações dos analistas da Wall Street são que a Apple divulgue vendas de aproximadamente 26 milhões de iPads e 55 milhões de iPhones. No trimestre de 2012 os números foram de 23 milhões de iPas e 48 milhões de iPhones. A estimativa ainda é que boa parte das vendas foram voltadas para o iPhone 5S. Já o modelo 5C teve uma queda na procura, já que o modelo não conseguiu chamar a atenção dos consumidos que possuem restrições no orçamento.

Segundo uma pesquisa de mercado feita pela Garther, a maior rival das empresas asiáticas é Apple, que está cercada por eles. Os números do levantamento mostram que a companhia terminou o terceiro trimestre com o segundo lugar no ranking de fabricantes de aparelhos celulares inteligentes, e teve participação de um pouco mais de 12%, sendo que no ano anterior chegou a 14,3%. Já a companhia sul-coreana Samsung chegou aos 32%. LG Eletronics, Lenoco e Huawei, abocanharam fatias de aproximadamente 5%.

Na China, a situação é bem diferente. A participação da Samsung no mesmo período é de 21%, e a Apple, estacionada na quinta posição, chegou apenas a 6%.