Publicado em: sexta-feira, 07/02/2014

Venda de tablets deve superar a de notebooks em 2014

Venda de tablets deve superar a de notebooks em 2014De acordo com estudo realizado pela consultoria IDC, publicado nesta quinta-feira (6), a venda de tablets de no Brasil deve, pela primeira vez, superar a de notebooks. As estimativas são de que os brasileiros comprarão 8,4 milhões de notebooks e 10,8 milhões de tablets neste ano. Em 2013, os números estiveram muito próximos, com a venda de 7,9 milhões de tablets e 8,2 milhões de notebooks.

Em 2013, os tablets já haviam conseguido superar os desktops, que tiveram vendas de 5,7 milhões de unidades no país. A estimativa é que os computadores de mesa continuem com queda nas vendas, fechando o ano de 2014 com 4,7 milhões de unidades comercializadas.

Preços

Segundo Bruno Freitas, do IDC, o preço dos tablets, menor do que o dos notebooks, é um dos motivos para a popularização dos dispositivos. A novidade também ajuda a impulsionar as vendas dos tablets. No caso dos notebooks, a maioria dos usuários adquire novos modelos para reposição. Já os tablets estão sendo adquiridos pela primeira vez por grande parte dos consumidores. Contudo, apesar da maior popularização dos tablets no país, o estudo concluiu que a venda de notebooks seguirá em alta, pois os dois dispositivos não são exatamente concorrentes.

Vários aparelhos

Algumas mudanças nos hábitos dos consumidores do país também têm contribuído para a elevação dos números, segundo o IDC. Um fenômeno recente no país é a utilização simultânea de vários aparelhos. Hoje, é comum que os consumidores tenham, ao mesmo tempo, um smartphone, um tablet e um notebook, por exemplo.

O IDC prevê que, em 2014, 81% dos aparelhos com conexão à internet vendidos no Brasil serão dispositivos móveis – ou seja, tablets e smartphones. Desta forma, o Brasil começa a se equiparar à média mundial, que é de 83%.

Mercado

Nos últimos anos, o Brasil tem progressivamente se tornado um dos principais mercados para as maiores empresas do setor de tecnologia no mundo. Em 2010, os novos smartphones lançados por empresas como Apple e Samsung demoravam cerca de quatro meses para chegar por aqui. Hoje, o tempo de espera para os brasileiros é de poucos dias e, em alguns casos, o país já sediou eventos globais de lançamento de modelos. Em novembro de 2013, por exemplo, o Moto G, da Motorola, foi apresentado ao mundo a partir de um evento em São Paulo.

Em quatro anos, a venda de smartphones e tablets no país foi multiplicada em doze vezes. Em 2010, foram comercializadas 4,9 milhões de unidades no Brasil. A estimativa é que, em 2014, este número chegue a 58 milhões. Somente em 2013, o crescimento de venda de smartphones por aqui teve um aumento de 120%.

Por fim, há também outra questão relevante: atualmente, poucas pessoas trocam seus celulares por um modelo que não se enquadre na categoria de “smartphone”. No caso dos tablets, o mercado deve se estabilizar somente quando forem iniciadas as reposições de modelos pelos consumidores, o que ainda não é uma realidade no país.