Publicado em: quinta-feira, 21/07/2011

Venda de quadro roubado indicou a localização do último foragido da Guerra da Croácia

Foi anunciado ontem (20) que o ex-líder dos sérvios da Croácia, Goran Hadzic, foi encontrado e detido para ser levado ao Tribunal Penal Internacional para a Ex-Iugoslávia (TPII) em Haia. Agora, a polícia responsável pela captura informou que a principal pista para conseguirem encontrar Hadzic nesse momento foi a informação de que ele estaria tentando vender um quadro do pintor italiano Amedeo Modigliani. O momento da captura foi enquanto Hadzic se encontrava na Sérvia com um homem que estava lhe entregando dinheiro.

De acordo com o procurador de crimes de guerra sérvio, Vladimir Vukcevic,o ex-líder sérvio estaria desesperado para conseguir dinheiro, pois as suas reservas teriam se esgotado durante o período em que ficou foragido. Além disso, Vukcevic afirmou que Hadzic estava “sem nenhum tostão” e que, provavelmente, conseguiu tomar posse do quadro durante a Guerra da Croácia, período pelo qual está sendo acusado de ter cometido crimes contra a humanidade.

Entidade que se responsabiliza por administrar os casos de obras de arte perdidas ou roubadas, o Registro de Arte Perdida em Londres, tem no seu sistema a informação de que são quatro obras de Modigliani consideradas como roubadas. De acordo com o diretor-executivo do Registro, Christopher Marinello, atualmente as obras desse artista podem ser vendidas entre US$ 4 milhões e US$ 10 milhões.

Porém, um vendedor do mercado negro consegue apenas 5% a 10% do valor total. Após a captura do foragido, seu advogado declarou que não pretendem entrar com recurso para reverter a situação de Hadzic. Agora, ele deve ser encaminhado a Haia para responder pelas acusações.