Publicado em: quinta-feira, 20/06/2013

Vencedores da Olimpíada Brasileira de Matemática terão bolsas

Vencedores da Olimpíada Brasileira de Matemática terão bolsasAconteceu na quarta-feira, dia 19, a premiação dos alunos vencedores da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2012, que aconteceu em duas fases. Ao todo, foram entregues 500 medalhas de ouro aos alunos finalistas, que participaram de uma competição que reuniu mais de 19 milhões estudantes de 46.728 escolas públicas do país.

Aloizio Mercadante, ministro da Educação, e Marco Antonio Raupp, ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, estiveram na solenidade de premiação dos alunos. Na ocasião, Mercadante anunciou que os alunos medalhistas da Obmep 2012 poderão integrar o Programa Quero Ser Cientista, Quero Ser Professor sem precisar participar de texto seletivo. Os estudantes aprovaram a novidade e aplaudiram bastante o ministro.

Este programa concede cem mil bostas de estudo em física, química, biologia e matemática. Os alunos recebem R$ 150 todos os meses e, em contrapartida, atuam como monitores nas escolas, com a responsabilidade de auxiliar outros alunos. O trabalho é acompanhado por um professor-tutor.

Para os alunos que foram considerados pelo ministro como “elite da matemática brasileira”, ainda haverá apoio das universidades federais, o que deve servir de estímulo aos estudantes.

Ainda durante a solenidade de premiação, o ministro anunciou a implantação do Programa Matemática para Todos. Através dele, os alunos do sexto ano do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio poderão ter acesso a programas curriculares e a aulas pela internet. Cláudio, Landim, coordenador-geral da Obmep, explicou que os grupos estão sendo formados e os vídeos das aulas serão gravados a partir de julho. Assim, a expectativa é que o conteúdo esteja disponível a partir de 2014.

Além dos medalhistas de ouro, 901 estudantes receberam medalhas de prata; 3.102 receberam medalha de bronze e 40.929 alunos ganharam menções honrosas.

Entre as cidades participantes da Obmep 2012, duas se destacaram pela quantidade de medalhas, pelo tamanho da população e pela região em que as escolas estão inseridas. Uma das cidades foi Paulista, que tem 11 mil habitantes e fica no sertão da Paraíba. No total, 22 alunos da cidade foram premiados: cinco ganharam medalhas de ouro, sete receberam medalhas de prata, além de rês medalhas de bronze e mais 12 menções honrosas. Outro município de destaque foi Dores do Turvo, que fica na Zona da Mata de Minas Gerais. A cidade, que tem cinco mil habitantes, recebeu 15 medalhas.

Em relação aos Estados, Minas Gerais teve o maior número de alunos que ganhou medalhas de ouro, com 152 premiados. Em seguida, aparece São Paulo (110), Rio de Janeiro (43), Rio Grande do Sul (42), Paraná (35), Santa Catarina (19), Distrito Federal (17), Bahia (12), Ceará (12) e Goiás (09). De Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Paraíba sete alunos ganharam medalha de ouro; Pernambuco e Espírito Santo, cinco; Amazonas, Tocantins e Piauí, três; Pará e Mato Grosso, dois; Roraima, Rondônia, Maranhão e Sergipe, um cada. Os Estados de Acre e Amapá tiveram estudantes que ganharam medalhas de bronze e menções honrosas.

Também foram premiados 27 professores, devido ao bom desempenho mostrado por seus alunos. Um dos professores premiados foi Luiz Felipe Lins, que leciona na Escola Municipal Francis Hime, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro: dois de seus alunos foram premiados com medalha de ouro. Na opinião do professor, a Obmep estimula alunos e professores e escola a melhorar cada vez mais a qualidade da educação, que também influencia na pontuação obtida no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Os medalhistas também poderão participar do Programa de Iniciação Científica Júnior, que vai ser ampliado para atender dez mil estudantes do ensino fundamental e médio até o ano de 2016.