Publicado em: quarta-feira, 29/02/2012

‘Vaquinha’ para contratação de Wesley pelo Palmeiras pode chegar à Justiça

A decisão de contratar o volante Wesley através de uma ‘vaquinha’ junto aos torcedores do Palmeiras já encontrou um primeiro empecilho. A ação coordenada pela empresa My Own Player (MOP) é acusada de plágio por um empresário brasileiro.

Giuliano Augusto acusa a MOP de ter se apropriado da ideia de contratar o jogador através do sistema de ‘crowdfounding’, onde cada pessoa contribuiu com uma determinada quantia em prol de um objetivo, neste caso, o pagamento dos oito milhões de euros ao Werder Bremen, da Alemanha, detentor dos direitos do volante.

A MOP, por sua vez, nega as acusações, e também acusa Giuliano, afirmando que o empresário está cometendo o crime de concorrência desleal, além de tentar desestabilizar os negócios. A direção do Palmeiras não se manifestou sobre o caso, já que tomou conhecimento sobre as acusações somente na última quarta-feira (29).

A contratação de Wesley por parte do Palmeiras já se transformou em uma novela. Após ter anunciado que havia fechado com o jogador – que inclusive já treina no CT do clube alviverde – a direção do Palestra Itália informou que ainda precisaria pagar pelos direitos do jogador, e por isso buscava investidores para bancar a negociação. Sem encontrar parceiros, o clube viu como solução a ‘vaquinha’ entre torcedores.