Publicado em: sexta-feira, 21/06/2013

Vacina contra HPV diminui índice de meninas infectadas

Vacina contra HPV diminui índice de meninas infectadasO índice de jovens americanas contagiadas o vírus do papiloma humano (HPV), responsável por causar o câncer de colo do útero, diminuiu 56% desde o ano de 2006, quando a vacina contra a o HPV começou a ser aplicada nos Estados Unidos.

O estudo, realizado com jovens com idade entre 14 e 19 anos, foi divulgado pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) e publicado na quarta-feira, dia 19, no Journal of Infectious Diseases. Mas, mesmo com os resultados positivos, somente um terço das adolescentes receberam as três doses da vacina.

Tom Frieden, responsável pela direção do CDC, comentou que os resultados da pesquisa servem de alerta sobre o fato de que a vacina funciona e deve ser mais procurada. Ele diz que há possibilidade da vacina proteger uma geração contra o câncer.

Ele explica que nos Estados Unidos somente um terço das meninas recebeu as três doses da vacina. Em Ruanda, ó índice de meninas vacinadas chegou a 80%. Para o diretor do CDC, o baixo índice de imunização nos Estados Unidos significa que 50 mil casos de câncer de colo de útero poderiam ser evitados ao longo a vida destas meninas. Ele diz que se o país tivesse conseguido chegar aos 80% de imunização, conseguiria ter evitar estes índices.

A pesquisa foi feita através de dados de um estudo nacional, que foi usado para que houvesse comparação entre os índices de infecção pelo HPV antes de começar a campanha de vacinação – entre 2003 e 2006 e com resultados da pesquisa referente aos anos de 2007 a 2010.

Pesquisa — O estudo usou dados de uma pesquisa nacional para comparar as taxas de infecção por HPV antes do início da campanha de vacinação, com dados de 2003 a 2006, e depois dela, com dados de 2007 a 2010.

A principal autoria da pesquisa, Lauri Markowitz, considera que a redução da infecção pelo vírus foi acima do que era esperado. Ela diz que entre os fatores que podem ter contribuído para o resultado está o que os pesquisadores chamam de imunidade de rebanho, que é quando a vacina causa benefício também para as pessoas que não a tomaram; a grande eficácia da vacina até mesmo entre as meninas que não tomaram as três doses, ou ainda pode estar ligada à mudança do comportamento sexual pelas jovens, fator que não foi relacionado na pesquisa.

Nos Estados Unidos, a imunização contra o HPV é destinada para meninas e meninos com 11 e 12 anos de idade. Estudos recentes mostraram que somente metade das meninas teve a primeira dose – o índice entre os meninos é menos ainda. O ideal é que sejam recebidas três doses da vacina ao longo de seis meses.
O CDC aponta que todos os anos 14 milhões de pessoas são vítimas de infecção pelo vírus HPV nos Estados Unidos. A estimativa é que o HPV cause 19 mil casos de câncer todos os anos nas mulheres norte-americanas e, neste sentido, o câncer de colo de útero é o mais comum. Nos homens, a estimativa é que o HPV provoque oito mil tumores todos os anos, e nestes casos, o câncer de garganta é o mais frequente.