Publicado em: quarta-feira, 30/07/2014

Vacina contra hepatite A será inclusa no calendário de vacinação do SUS

Vacina contra hepatite A será inclusa no calendário de vacinação do SUSNessa terça-feira (29), o Ministério da Saúde divulgou que a vacina contra o vírus da hepatite A, será inserida no Calendário Nacional de Vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir deste mês. A vacina será específica para imunizar crianças de 1 ano a 1 ano e 11 meses. O objetivo do órgão é conseguir atingir a faixa de 95% imunizações do público em um ano, totalizando três milhões de crianças. Essa vacina ficará disponível nas unidades básicas de saúde pública de 11 estados (Acre, Rondônia, Alagoas, Ceará, Maranhão, Piauí, Pernambuco, Goiás, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul) e do Distrito Federal, de acordo com o ministério.

Nos estados em que as vacinas serão liberadas, os pais que levarem os filhos já terão direito a nova vacina. Os estados que ainda não tiveram a imunização implantada, passarão a ter no mês de agosto: Amazonas, Amapá, Tocantins, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Pará e Santa Catarina. Roraima, São Paulo e Paraná. Ficarão para o mês de setembro.

Meta

Afim de que seja cumprida a meta de imunizar 3 milhões de crianças no período de doze meses, o ministério destacou que já compartilhou 1,2 milhão de doses desde o começo deste mês. Só esse ano, toda a distribuição será feita até setembro, e de acordo com o órgão, o investimento está avaliado em R$ 111 milhões.

Para os pacientes que forem tomar a vacina contra a hepatite A, o Ministério da Saúde disponibilizará de graça, 14 vacinas de rotina que estão no calendário. De acordo com o ministério, com a vinda da nova vacina, o Brasil começará a conceder todas as que são indicadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo informações do ministro da Saúde, Arthur Chioro, o investimento que foi feito nas doses de vacina de hepatite A, irão “valer a pena” assim que os índices de morte de crianças passarem a diminuir.