Publicado em: quinta-feira, 15/03/2012

USP aparece em ranking das 100 melhores universidades do mundo

O instituto da Grã Bretanha Times Higher Education divulgou na noite de ontem, quarta-feira (14), um ranking que classifica as melhores instituições de ensino superior em todo o mundo. A Universidade de São Paulo (USP) foi a única brasileira a integrar o seleto grupo das universidades mais bem cotadas em diversos países.

É a primeira vez que a Universidade de São Paulo aparece entre as 70 melhores do ranking. Ocupando o primeiro lugar está, mais uma vez, a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Para elaboração do ranking foi usado como base uma pesquisa onde foram entrevistados aproximadamente 17 mil estudantes universitários e pesquisadores de instituições de quase 140 países. Os resultados apontam mais uma vez para a superioridade das universidades norte americanas.

Entre as 10 melhores universidades do mundo, sete delas são dos estados Unidos, duas do Reino Unido e somente uma do Japão. Ao final é possível identificar que entre as 100 universidades com os melhores desempenhos, 19 países são representados na lista.

Levantamento de dados

Ao longo do levantamento dos dados, os universitários e pesquisadores apontaram também as 15 universidades que apresentassem o melhor desempenho em sua área de atuação. Harvard foi a única a conquistar a pontuação máxima no ranking. Depois dela, segue o Instituto de Tecnologia de Massachussetts (MIT), a Universidade de Cambridge, no Reino Unido, Universidade de Stanford, Universidade da Califórnia, Universidade de Oxford, Universidade de Princeton, Universidade de Tokyo, e Universidade de Yale.

Na divulgação da lista do ano passado, a Universidade de São Paulo não chegou a aparecer na lista, se destacando nesta edição como a única também da América Latina. O editor do Times Higher Education, Phil Baty, declarou que esta novidade é motivo de celebração no Brasil, já uma colocação nesta lista indica um crescimento da confiança na qualidade do ensino no Brasil. Ele também afirma que este resultado contribui para atrair pesquisadores e investimentos para a educação superior do país.