Publicado em: quinta-feira, 12/09/2013

Uso de energético com bebidas alcoólicas aumenta riscos de acidente

Uso de energético com bebidas alcoólicas aumenta riscos de acidenteDe acordo com um estudo realizado pela Universidade de São Paulo (USP) e que foi divulgado nesta semana, um a cada cinco universitário brasileiros faz uso de bebidas alcoólicas com bebidas energéticas. Segundo os especialistas, isso aumenta as chances de eles se sujeitarem a comportamentos de risco.

Quando consomem bebidas energéticas com bebidas alcoólicas, os jovens aumentam em cinco vezes as chances de acabarem passando da conta nas bebidas. As chances de dirigir em alta velocidade dobra e as chances de eles se envolverem em acidentes com feridos aumenta em quatro vezes.

O estudo que é inédito e que foi desenvolvido pela USP entrevistou 8.672 universitários das 27 capitais do país e que afirmaram que ingeriram bebidas alcoólicas nos últimos doze meses.

De acordo com a pesquisa, do total de jovens entrevistados, 78,9% disseram que ingerem somente bebidas alcoólicas. 21,1% dos entrevistados disseram ter misturados álcool com bebidas energéticas. Dos entrevistados 3.361 ficaram fora da análise por afirmarem terem usado substâncias ilícitas, além do álcool e do energético.

Maior número de acidentes provocados pela combinação álcool mais energético

Pesquisas desenvolvidas pelo governo norte americano já mostravam o que o número de acidentes aumentava quando os envolvidos tinham usado, além da bebida alcoólica, também o energético.

Cada lata de energético tem cafeína que é equivalente a três cafés expressos. Por causa dessa substância em alta dose, a pessoa fica acordada e com maior disposição por mais tempo, mesmo depois de ter feito o uso da bebida alcoólica.

De acordo com um dos autores do trabalho desenvolvido pela USP, o psicólogo Frederico Eckschmidt, quando consumidos junto com as bebidas alcoólicas, o energético disfarça os efeitos da bebida e a pessoa acaba bebendo mais sem perceber. O energético ainda acaba por deixar as bebidas alcoólicas mais doces, o que faz com que o consumo seja maior.