Publicado em: quinta-feira, 16/01/2014

Uso de aplicativos de bate-papo triplicou em 2013

Um levantamento feito pela consultoria Flury apontou que a utilização de aplicativos móveis de bate-papo, para tablets e celulares, triplicou em 2013. Dentre os maiores responsáveis por este aumento estão aplicativos como Snapchat, Kakao Talk, Line, WeChat, WhatsApp e até mesmo o Facebook Messenger. Na média, estes aplicativos apresentaram um aumento superior a 200% no volume de utilização.

Metodologia

Para fazer este cálculo, a Flury não se limitou aos aplicativos exclusivos para conversar, incluindo também aqueles que permitem o compartilhamento de imagens e vídeos. Para calcular o volume de utilização, o estudo levou em conta o número de vezes que os aplicativos foram abertos pelos usuários, ou seja, o início de uma sessão, sem que o usuário tenha necessariamente feito alguma postagem.

Somente no último dia de 2013, a Flury registrou o impressionante número de 4,7 bilhões de sessões iniciadas pelos usuários. Considerando todo o ano de 2013, a quantidade de sessões iniciadas foi de 1,126 trilhão.

Outras categorias

Dentre todas as categorias analisadas, os aplicativos de bate-papo foram os que apresentaram o maior aumento no volume de utilização. O número final do estudo, ou seja, aquele que demonstra o aumento na utilização de aplicativos em geral, foi de 115%. Outra categoria que se destacou em 2013 foi a de aplicativos para aumento de produtividade, como Quip e Evernote, que tiveram um acréscimo de 149% no número de sessões iniciadas.

A tendência no aumento de utilização de aplicativos de bate-papo e troca de imagens foi percebida rapidamente pelo Facebook, que ofereceu nada menos do que U$3 bilhões para adquirir o Snapchat, um aplicativo que não possui receitas. Contudo, apesar da oferta, os desenvolvedores do Snapchat recusaram a venda.

Fenômeno

O estudo da consultoria Flury confirmou uma das grandes tendências de 2013: o aumento massivo da utilização de aplicativos deste gênero, muitas vezes até como substitutos do Facebook. Isso, talvez, justifique as tentativas da rede social de Mark Zuckerberg para adquirir aplicativos de bate-papo.

Neste segmento, o principal público-alvo são os jovens. Em 2013, diversos estudos apontaram que os jovens têm passado cada vez menos tempo no Facebook, optando pelos aplicativos de bate-papo, que geralmente têm um caráter mais privado e se focam nos grupos de amigos.

Conclusões

Além de apontar os números, a Flury também buscou interpretar os dados fornecidos pela pesquisa. Segundo a consultoria, os aplicativos de bate-papo estão no caminho para deixarem de ser vistos como meros sistemas de envio e recebimento de mensagens, transformando-se em verdadeiras plataformas com diversas outras funções.

Esta conclusão já pôde ser percebida na prática. Em 2013, os desenvolvedores do WeChat firmaram uma parceria com a Xiaomi, principal empresa de smartphones da China. Através de uma promoção realizada no aplicativo, a Xiaomi conseguiu vender 150 mil smartphones em apenas dez minutos.

Este exemplo, para a Flury, mostra que o ano de 2014 poderá trazer muitos avanços nos aplicativos de bate-papo, que possivelmente se tornarão grandes canais de distribuição de conteúdo, até mesmo com a possibilidade de bater de frente com as redes sociais.