Publicado em: sexta-feira, 17/02/2012

Uso de antibióticos não é eficaz no tratamento contra sinusite

Um estudo publicado pela revista JAMA, da Associação Médica Americana, nesta quarta-feira (15) mostra que a utilização de amoxicilina para combater rinossinusite não é eficaz. Segundo o estudo, embora os médicos receitem com frequencia os antibióticos, eles são ineficazes contra a maior parte das infecções nasais. O uso do antibiótico amoxicilina para os indivíduos com rinossinusite resultou em pouca melhora dos sintomas quando comparado com os pacientes que receberam placebo.

A rinossinusite é uma doença muito comum, mas que causa vários transtornos como enfermidade grave, perda de tempo de trabalho e altos custos de tratamento. Devido a isso, alguns pesquisadores resolveram estudar a resistência aos antibióticos e a justificativa para a prescrição deles. O que o estudo mostrou foi que o uso desse tipo de medicamento deve ser recomendado pelos clínicos apenas quando há sintomas moderadamente graves ou graves. Nos Estados Unidos a prescrição de antibiótico para sinusite é muito comum. A cada cinco antibióticos prescritos, um é para esse problema de saúde.

Estudo foi feito com 166 pessoas

O estudo foi conduzido por Jane M. Garbutt e outros pesquisadores da Washington University School of Medicine, em St. Louis. Os estudiosos fizeram a pesquisa com o objetivo de examinar o efeito do uso de amoxicilina nos tratamentos de rinossinusite bacteriana aguda. O estudo trabalhou com 166 adultos que receberam um tratamento de 10 dias de amoxicilina ou placebo. Dentre os sintomas apresentados pelos participantes estavam: a dor facial, o corrimento nasal e a coriza.

Os pesquisadores observaram que a alteração dos resultados dos testes foi semelhante em ambos os grupos (que usaram e não usaram o antibiótico) no dia 3 e também no dia 10, diferindo-se apenas no dia 7, favorecendo a utilização da amoxicilina. Dessa forma, o resultado principal da pesquisa é que os antibióticos oferecem poucos benefícios aos cuidados primários nos pacientes diagnosticados com a rinossinusite aguda.