Publicado em: segunda-feira, 02/07/2012

Uruguai não queria entrada da Venezuela no Mercosul

Nesta segunda-feira (2), o ministro de Relações Exteriores do Uruguai, Luis Almagro, afirmou que seu país não desejava que a Venezuela fosse admitida no bloco econômico Mercosul nas circunstâncias que entrou. O ministro também retrucou a legalidade desta determinação.

A entrada da Venezuela no bloco econômico de países sul-americanos aconteceu na reunião de Cúpula do Mercosul, realizada em Mendoza, na Argentina, na última sexta-feira. A incorporação do novo país ao bloco econômico está marcada para o dia 31 de julho, no Rio de Janeiro. Além da decisão de admitir a Venezuela no Mercosul, os chefes de Estado dos países que compõem o bloco também decidiram o futuro do Paraguai.

Suspensão do Paraguai

Nesta mesma reunião em Mendoza, Brasil, Uruguai e Argentina decidiram suspender o Paraguai do bloco até que as novas eleições presidenciais sejam realizadas no país. A decisão foi dada como uma resposta ao impeachment do presidente Fernando Lugo, sendo que o processo não foi visto com bons olhos pelos países sul-americanos.

O ministro uruguaio, Almagro, afirmou que a decisão de admitir a Venezuela não foi ratificada pelo Senado paraguaio. Almagro disse ainda que esta decisão, resultante do encontro entre Dilma Rousseff, Cristina Kirchner e José Mujica, foi uma iniciativa do Brasil. De acordo com as declarações dadas pelo ministro para a rádio “El Espectador”, a posição brasileira com relação a entrada da Venezuela foi decisiva.