Publicado em: terça-feira, 16/10/2012

União Européia pede mudanças sobre regras de confidencialidade do Google

União Européia pede mudanças sobre regras de confidencialidade do GoogleAs regras de confidencialidade aplicadas pelo Google, desde o dia 1º de março, não atingem a legislação da europa para a proteção dos dados pessoais e precisam de modificação, informou a autoridade que projete a União Europeia (UE).

Em uma carta coletiva, é solicitado que o gigante da internet informe apresente mais claramente e de forma mais completa os dados que reúne e qual é o objetivo disso. Elas envidenciam que a empresa deverá realizar medidas efetivas e que sejam públicas para que cumpra de forma rápida o que diz à lei.

A empresa simplificou as suas regras para confidencialidade, ao unir aproximadamente 60 regras para a utilização em uma, de forma a reagrupar informações de muitos programas, que eram separados uns dos outros, como o Gmail ou o Google+.

No mês de maio, após o inicio da análise e das trocas de informações com o Google, a Comissão Nacional de Informática e das Liberdades francesa (CNIL), que tem autorização das 26 agências dos estados europeus para que analisasse estas novas normas, e disse que elas não respeitaram os pedidos dos pedidos da europa para que proteja os dados das pessoas que tem envolvimento com os casos.

Depois de uma segunda análise, que ocorreu baseada no que foi explicado pelo Google, a CNIL, na terça-feira (16) demonstrou em Paris resultados e ressaltou que o Google tem o período entre três meses ou quatro para que fique certo com as regras de confidencialidade da europa, para que não ocorra uma fase de litígios na justiça.

A presidente da comissão, Isabelle Falque-Pierroti afirmou que não houve demonstração que o Google iria se comprometer com os princípios da diretriz. Ela ainda disse que a cooperação que tiveram da gigante foi pequena, pois a empresa respondeu as perguntas, de forma vaga e imprecisa.