Publicado em: quarta-feira, 21/09/2011

União Africana reconhece CNT depois de anúncio sobre governo interino ser adiado

O Conselho Nacional de Transição (CNT) foi oficialmente reconhecido nesta terça-feira (20) como governo interino da Líbia pela União Africana (UA), entidade que estava sendo criticada por não manifestar apoio aos manifestantes que derrubaram o regime do ex-ditador Muamar Kadafi. No domingo (18), o CNT adiou o prazo para nomear o governo de transição que assumiria a liderança do país, sendo que o anúncio a respeito do novo governo era esperado na mesma data.

A União Africana divulgou a decisão por meio de uma comunicado, no qual afirma que está pronta para apoiar o CNT como autoridade oficial do país. A entidade também fez um pedido ao Conselho, pois há denúncias de trabalhadores migrantes na Líbia que são perseguidois por mercenários contratados por Kadafi. Portanto, a União pede que o CNT proteja essa classe da população. Alguns países africanos e europeus já haviam reconhecido o CNT.

De acordo com o número dois da hierarquia do CNT, Mahmud Jibril, “o anúncio de um governo de transição foi adiado indefinidamente para finalizar as consultas”. Portanto, o CNT não divulgou quando deve ser anunciada a composição do quadro de governantes. A principal dificuldade teria sido a falta de consenso entre os rebeldes para definir os nomes daqueles que seriam nomeados ministros e o número exato de ministérios necessários.

Além disso, Jibril defende que devem ser incluídos mulheres e jovens para a representatividade do governo interino. Tal governo será o responsável por administrar o país pelos oito meses seguintes à sua nomeação, período depois do qual devem ser realizadas as primeiras eleições.