Publicado em: quarta-feira, 18/04/2012

Unesp de Araraquara investiga racismo contra africanos em pichações

A Polícia Civil da cidade de Araraquara, interior de São Paulo, está investigando uma denúncia de racismo contra estudantes vindos da África e que estão na Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp). O grupo composto por dez alunos, que foram beneficiados pelo Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G), do Governo Federal, fez um boletim de ocorrência a respeito do caso.

Segundo os denunciantes, foi feita uma pichação em uma das paredes do setor em que os estudantes assistem às aulas. A mensagem seria racista, apresentando os dizeres “Sem cotas para os animais africanos”. Já a Unesp declarou através de uma nota que irá avaliar o caso.

José Mahinga Sebastião, estudante angolano de 28 anos, contou que um amigo foi quem notou a pichação e logo depois fez uma postagem a respeito, em uma rede social. De acordo com Sebastião, uma carta foi encaminhada até a delegacia de Araraquara e uma outra para o diretor da faculdade da Unesp. O estudante fala ainda que não foi a primeira vez que sofre preconceito no local, mas como não causava problema ele não dava atenção, entretanto agora ele se diz indignado.

Para o estudante Duarte Olossato Quebi, de 27 anos, vindo da Guiné Bissau, o problema de racismo nas ruas é maior do que dentro da faculdade, pois muitas vezes acontece por falta de esclarecimento. Por isso ele se diz surpreso com o fato de isso ter ocorrido dentro de uma universidade bem conceituada.