Publicado em: domingo, 20/07/2014

Um tipo de gene introduzido no músculo cardíaco pode substituir um marca-passo, diz estudo

Um tipo de gene introduzido no músculo cardíaco pode substituir um marca-passo, diz estudoUm estudo realizado com animais revelou que a introdução de um tipo de gene no músculo cardíaco pode mudar a situação de um coração debilitado para que passe a bater de forma regular, de acordo foi informado pelos cientistas na última quarta-feira (16).

O fato foi descoberto por meio de um estudo feito com porcos. Se a técnica for comprovada como segura e eficaz quando testada em humanos, o procedimento irá acabar extinguindo os marca-passos eletrônicos e os substituindo.

Segundo o diretor de Cerdars-Sinai Heart Institute, Eduardo Marban, esses avanços adiantam o processo de uma nova era de tratamentos genéticos, dentro dos quais os genes não são usados somente para tratar de uma enfermidade, mas também podem transformar um tipo de célula em outro para o tratamento da doença. Ele conta que essa é a primeira vez que uma célula cardíaca é reprogramada em um animal vivo para curar uma doença.

Nó sinoatrial

A pesquisa foi publicada na revista “Science Translation Medicine”, e é descrita como um tratamento que é responsável pela introdução de um gene chamado de TBX18 em uma região do coração dos porcos que sofriam de um problema identificado como “bloqueio cardíaco completo”, que é caracterizado pelas batidas irregulares.

Esse gene transformou algumas das células regulares do coração em células diferentes, chamadas células sinoatriais, que funcionam para ajudar a bombear o coração. Durante uma teleconferência para discutir a pesquisa, Marban explicou a jornalistas que foram criados por eles, um novo nó sinoatrial na parte do coração que originalmente amplia o impulso, mas não origina. Ainda diz que o nesse caso, o nó recém-criado substitui a função de um marca-passo. Para inserir o gene não foi necessário fazer cirurgia de peito aberto, ele foi introduzido por meio de um cateter.