Publicado em: quinta-feira, 13/02/2014

UE pede que controle da web deixe de ser centralizado nos Estados Unidos

UE pede descentralização do controle da web nos Estados UnidosAs denúncias de espionagens norte-americanas feitas pelo ex-analista da NSA (Agência Nacional de Segurança), Edward Snowden têm dado o que falar. Em um documento divulgado na última quarta-feira (12), a União Europeia informou que o controle da internet seja democratizado entre os países e seja descentralizado dos Estados Unidos.

Defensora dos interesses dos integrantes da UE, a Comissão Europeia pede que seja substituído o Icann (Órgão com sede nos EUA que define diretrizes e endereços da rede mundial de computadores) por um departamento internacional.

De acordo com o documento, o bloco econômico europeu defende que a internet deve ser única, livre, aberta, sem distinções e sujeita às leis que são aplicadas fora do espaço cibernético, tal como o controle, devendo ser livre, transparente, imparcial e multilateral.

O posicionamento dos europeus diverge do russo e chinês, pois os governos da Rússia e China defendem que cada país possua um regimento interno e o acesso à rede seja controlado pelas leis das nações de uma forma individual e não universal. A União Europeia depende da aprovação dos 28 países membros do bloco para que o projeto seja levado adiante e possa entrar em vigor.

O jornal britânico “The Telegraph” revela que os 28 países membros do bloco econômico deverão apoiar o projeto, em função das revelações do ano passado de espionagem e a facilidade do governo norte-americano de acessar as informações de qualquer região do planeta.

No início do ano passado, Edward Snowden revelou alguns documentos que comprovam a espionagem dos Estados Unidos e de que também, o país possua livre acesso às informações pessoais dos cidadãos, inclusive as dos políticos europeus. A premiere alemã Angela Merkel, o presidente francês François Hollande, e até mesmo o papa Francisco não foram poupados pelos espiões norte-americanos, e este é o contra-ataque do “Velho Continente” ao “Tio Sam”.