Publicado em: quarta-feira, 31/10/2012

Twitter sofre com trotes, mas colabora durante Super Tempestade Sandy

witter sofre com trotes, mas colabora durante Super Tempestade SandyEnquanto a super tempestade Sandy provocava caos na Costa Leste dos EUA, chegando a afetar a rede elétrica e conexões com a internet, milhões de moradores utilizaram o Twitter, para se informar ou para pedir algum tipo de socorro.

Porém houve quem utilizasse a rede social para disseminar boatos ou transmitir fotos com manipulações, como uma que aparecia que a bolsa de Nova York estava inundada.

A bolsa teve que desmentir isto, mas isto só ocorreu após o tweet ter sido replicado diversas vezes, chegando a virar notícia na CNN, o que chega a mostrar que a rede social tornou-se essencial nas coberturas midiáticas, mesmo que haja falhas neste processo.

As autoridades dos Estados Unidos estão utilizando o microblog para orientar os moradores sobre desocupação de áreas que sofrem ameaças. Quando a Sandy de fato chegou, as linhas de emergência 911 estiveram totalmente congestionadas na cidade de Nova York, o que fez que moradores enviassem mensagens o Corpo de Bombeiros através do Twitter (@fdny) procurando receber informações ou ajuda para pessoas que estavam com algum tipo de problema.

Emily Rahimi, que, cuida sozinha da conta do twitter, encaminhou vários pedidos de ajuda para os bombeiros, e ao mesmo tempo orientava para que os usuários que tivessem dúvidas ligassem para o 311, que realiza atendimentos não-emergenciais, ou também para a empresa ConEd.

Na sede da Cruz Vermelha, em Washington, uma sala denominada como Centro de Operações Digitais tem um mosaico que tem seis monitores que apontam atualizações do Twitter e Facebook, e um mapa que demonstra qual o local de origem destes posts. Nesta terça (30) o presidente Barack Obama passou rapidamente pelo local.

Devido a esta super tempestade, o Twitter fez uma página especial sobre a tempestade Sandy em um local acima do primeiro lugar dos trending topics, espaço reservado para eventos pagos por grandes empresas.