Publicado em: sexta-feira, 02/09/2011

Turquia expulsa embaixador israelense de Ancara em resposta a ataque de 2010

O governo da Turquia expulsou nesta sexta-feira (02) o embaixador israelense de Ancara em resposta ao relatório divulgado pela ONU que confirma a culpa de Israel no ataque realizado em maio de 2010 contra uma frota da Turquia, o qual resultou em nove mortes de cidadãos turcos. A embarcação era de caráter humanitário e tentava romper o bloqueio à Faixa de Gaza. Em contraponto, Israel anunciou que não vai pedir desculpas pelo relatório da ONU.

De acordo com o ministro turco das Relações Exteriores, Ahmet Davutoglu, todos os acordos militares entre Israel e Turquia foram rompidos e tanto o embaixador israelense quanto outros funcionários de alto escalão tem até quarta-feira para deixarem o país. Para ele, a primeira consequência pela atitude do país em não reconhecer a culpa no caso é que Israel não terá mais a amizade da Turquia.

Ao mesmo tempo, fontes em Jerusalém afirmam que “Israel manifesta novamente seu pesar pelas perdas de vidas humanas, mas não se desculpa por esta operação. Israel, como qualquer outro país, tem o direito legítimo de se defender.” Depois de receberem o relatório da ONU, a resposta do país teria sido que “Israel aceita o relatório da ONU, mas com reservas (…). É um documento profissional, sério e aprofundado que confirma a legalidade do bloqueio marítimo imposto por Israel em torno de Gaza, incluindo em águas internacionais”.

O texto integral do relatório da ONU foi publicado no The New York Times e reconhece o direito ao bloqueio marítimo de Gaza perante as leis internacionais. Porém, a conclusão da ONU é que Israel usou força “excessiva e desproporcional”.