Publicado em: segunda-feira, 05/09/2011

Turquia deve entrar com processo no Tribunal Internacional contra bloqueio a Faixa de Gaza

O governo da Turquia anunciou neste sábado (03) que o país vai iniciar um processo no Tribunal Penal Internacional (TPI), sediado em Haia, contra a legalidade do bloqueio de Isarel na Faixa de Gaza. Esta medida faz parte das cinco iniciativas divulgadas pelo país como retaliação a Israel por ter se recusado a pedir desculpas pelas nove mortes causadas em um ataque contra uma frota turca que tentava furar o bloqueio.

O ministro das Relações Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, afirmou que “não se trata de um assunto entre Turquia e Israel, se trata de um assunto entre Israel e a comunidade internacional, o direito internacional e a consciência internacional.” A frota turca que foi atingida pelo ataque de Israel era composta por ativistas humanitários e o ataque aconteceu em 2010. Nesta quinta-feira (01), a ONU divulgou um relatório defendendo a legalidade do bloqueio a Faixa de Gaza, mas concluíu que Israel fez uso excessivo de força.

Em contrapartida, o vice-ministro de Relações Exteriores israelense, Danny Ayalon, declarou que lamenta a decisão do país vizinho e defende que não acredita na continuidade do processo em Haia, pois a própria ONU já divulgou seu parecer oficial a respeito da legalidade do bloqueio.

Outra medida oficializada pela Turquia foi a expulsão do embaixador israelense em Ancara, sendo que foi concedido um prazo até quarta-feira para que o representante deixe o país. Além disso, os outros funcionários de alto escalão também foram informados que devem deixar a Turquia. O governo turco também anunciou a suspensão de todos os acordos militares com Israel.