Publicado em: quinta-feira, 05/07/2012

Tunísia convoca ministros para discutirem sobre morte de Arafat

Nesta quinta-feira (5), um dirigente da Liga Árabe anunciou que a Tunísia fez a convocação dos ministros para que estes possam discutir, em uma reunião, a morte do ex-presidente da Palestina, Yasser Arafat. A reunião foi marcada depois que foram encontradas novas acusações de que o ex-líder teria sido envenenado.

Nesta quarta-feira (4), a Autoridade Palestina concordou com a exumação do corpo do ex-presidente do país, após o surgimento de novas suspeitas a respeito da morte de Yasser Arafat. As alegações afirmam que o ex-líder palestino foi envenenado com polônio-210 em 2004. Este mesmo elemento radioativo assassinou um espião da Rússia em Londres em 2006.

Estudar morte do líder

O secretário-geral da Liga Árabe, Ahmed ben Helli, disse nesta quinta-feira para os jornalistas que recebeu um pedido, feito por um representante da Tunísia, para que fossem realizados estudos sobre as causas que levaram a morte do ex-presidente palestino. Ahmed ben Helli disse ainda que a finalidade da reunião é dar determinações de como os países pretendem lidar com o caso.

A viúva do ex-líder palestino, Suha Arafat, deu a autorização para o corpo do marido seja exumado. Ela concedeu a permissão depois de divulgada uma pesquisa em que mostra que as roupas do ex-presidente continham resíduos do elemento radioativo, o que indica que Yasser Arafat teria sido envenenado. A viúva também solicitou que seja realizada uma autópsia a fim de encontrar o elemento nos restos mortais do ex-líder.