Publicado em: sexta-feira, 07/03/2014

TSE ordena ao Facebook a retirada de página por propaganda eleitoral

Facebook é obrigado a retirar página com propaganda eleitoral Prestes a começar a campanha eleitoral, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) bem trabalhado para que as páginas de internet não façam campanhas antes do tempo. Desta vez, uma página no Facebook fazia propaganda em prol do governador do estado de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). De acordo com o ministro que determinou que a página fosse apagada, Admar Gonzaga, há evidencias de campanha antecipada.

Procurada, a assessoria de imprensa do governador pernambucano afirmou que a página não pertence a Campos e tampouco a equipe que participará da campanha. O pedido para apagar a página da rede social veio do procurador Eugenio Aragão que viu era uma campanha. De acordo com a lei, a partir do dia 6 de julho as páginas na internet poderão ser criadas à favor dos candidatos. Com mais de 2 mil “curtidas”, a página foi retirada do ar e será averiguado quem criou a página.

Admar Gonzaga caracterizou como campanha antecipada pelo fato das postagens enaltecerem a imagem de Campos, tal como colocá-lo como candidato à Presidência da República em 2014. Por ser uma página pública, o TSE não viu outra saída a não ser pedir para que as publicações fossem removidas.

Esta não é a primeira vez que páginas na internet são criadas para fazer campanhas eleitorais antecipadas. O tribunal superior eleitoral adverte que as páginas serão avaliadas constantemente para que não que isso não volte a acontecer.

No ano passado o mesmo havia sido feito com o senador mineiro Aécio Neves, que teve a página da internet apagada por colocar Neves como presidenciável.

No entanto, as redes sociais serviram como ferramentas nas eleições, no caso de Barack Obama que em 2009 usufruiu da internet como uma forma de atrair o público mais jovem e isto vem sendo feito desde então por diversos candidatos espalhados pelo mundo.