Publicado em: terça-feira, 13/12/2011

Tropas norte-americanas deixam Iraque até o fim do mês

Depois de um encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o primeiro-ministro do Iraque, Nuri al Maliki, que aconteceu na Casa Branca, foi feito o anúncio da retirada dos soldados norte-americanos do solo iraquiano. Esta retirada será feita após oito anos que começaram as operações para encontrar e eliminar armas de destruição em massa.

Essas armas, do regime de Saddam Hussein, foi o motivo pelo qual as tropas dos Estados Unidos foram enviadas para o Iraque, porém, elas nunca foram encontradas. O presidente norte-americano afirma que os Estados Unidos irão continuar ajudando o Iraque. Obama justificou a saída das tropas dizendo que apesar de ainda acontecerem alguns ataques de certos grupos que desejam “desestabilizar o desenvolvimento do país”, a violência possui baixos níveis.

As duas autoridades realizaram uma homenagem aqueles que foram mortos nas operações militares do país. Obama afirma que os soldados que restam evacuaram do Iraque nos próximos dias, atravessando a fronteira “com honra e com as cabeças erguidas”. Ele afirma que a evolução vista no Iraque permite que estejam todos preparados para “os desafios” que encontrarão.

Mais de 4500 soldados dos Estados Unidos morreram em conflitos no Iraque desde que George W. Bush ordenou que o país fosse invadido, em 2003. Porém, a retirada dos soldados norte-americanos do território iraquiano levanta questões sobre as possibilidades de segurança do Iraque. Os republicanos têm medo de que esta retirada seja aproveitada pelo Irã.