Publicado em: terça-feira, 27/03/2012

Trinta faculdades são suspeitas de manipulação do Enade

Nas últimas semanas, a Universidade Paulista (Unip) tem sido alvo de suspeitas de fraude na realização do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes. Além dela, o Ministério da Educação afirmou que outras 30 instituições da rede de ensino superior receberam uma notificação a respeito da diferença entre o número de alunos matriculados na universidade e o número de participantes. Ainda não se sabe quais universidades receberam a notificação.

As universidades são acusadas de escolher os estudantes com melhor desempenho para realizar o Enade, o que apontaria uma melhor avaliação da instituição. As universidades terão dez dias para se manifestar.

Se o MEC considerar as justificativas insuficientes, podem ser abertas auditorias para aprofundar as investigações. Na última quinta feira (22) foi divulgada a primeira auditoria. Ao longo dos próximos 60 dias, funcionários do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), juntamente com a Secretaria de Regulação e Supervisão do Ensino Superior (Seres) irão realizar visitas na Unip para as investigações.

Denúncia

No começo do mês de março, uma denúncia indicava que a Unip estaria selecionando somente seus melhores alunos para a avaliação do Enade, que mede a qualidade dos cursos de todas as instituições de ensino superior do Brasil. A prática faria, teoricamente, com que oi desempenho da Universidade seja melhor, já que estudantes com melhores notas fariam a prova. A Unip até tentou se defender através de um documento que enviou ao MEC, mas o Ministério não considerou suficiente.

O Exame de Desempenho qualifica a universidades a partir das provas, que são aplicadas nos estudantes ingressantes e concluintes dos cursos. No ano passado, as avaliações foram de biologia, ciências sociais, licenciatura em Ed. física, filosofia, física, geografia, história, letras, matemática, música, pedagogia, química, arquitetura e urbanismo, engenharia, computação e artes visuais. Foram mais de 400 mil participantes.

Depois das denúncias, o ministro da Educação decidiu aplicar mudanças nas regras da prova. Já este ano, os alunos também do penúltimo semestre precisarão participar da avaliação. “Isso resolve o problema de postergar a formatura do aluno por um semestre, intencionalmente ou não, para poder eventualmente melhorar o desempenho no Enade. Nós queremos que todos eles façam a prova para que tenhamos a verdadeira avaliação da instituição”, declarou o ministro.