Publicado em: sexta-feira, 09/03/2012

Transexual e ex-babá do presidente Obama se torna celebridade na Indonésia

Vivendo em favela na cidade de Jacarta, na Indonésia, a transexual Evie, aos 66 anos, se tornou celebridade instantânea. Ela foi babá do atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e tem recebido diversas equipes de televisão, que desejam entrevistá-la.

Ela vive na pobreza depois que seus parentes a renegaram. Agora eles desejam conhecê-la. Evie acabou de receber uma boa proposta de trabalho. Ela conta que sempre se sentiu uma mulher, apesar de ter nascido com o corpo masculino e foi ridicularizada e sofreu abusos durante anos, por isso decidiu esconder sua orientação sexual e de fazer “cross-dressing”.

Mas isso tudo mudou, depois que ela virou notícia na Associated Press, como símbolo da luta dos transexuais na Indonésia, onde a maioria da população é muçulmana. Com isso ela ganhou destaque em todo o mundo, principalmente por ter ligação com o homem que hoje é presidente dos Estados Unidos.

Evie afirma que sente como se alguém tivesse aberto a porta de sua vida, depois de ter ficado anos trancada em um quarto escuro e afirma que os ventos estão soprando a seu favor agora. Ela explica que as pessoas, inclusive parentes, que antes a ignoravam, agora começam a se aproximar.

Na Indonésia, os transgêneros são vistos pela televisão com certa liberdade e aceitação, mas o que a mídia mostra, não é realidade na vida destas pessoas, que são relegadas a trabalhos em salões de beleza e viram objetos de discriminação e piada.

Evie explica que tem consciência que sua fama é algo momentâneo, mas espera usar esta oportunidade para ajudar pessoas que sofrem com os mesmos problemas que ela, dando notoriedade para o assunto.

Quem decidiu ajudar Evie foi o professor da escola católica St. Peter, Philip Myers, oferecendo-lhe emprego como cozinheira e empregada doméstica. Ele esclarece que não se importa com a forma como ela se veste, mas o que realmente faz alguém uma pessoa boa ou má são os sentimentos que carrega no coração.

A ex-babá se mostrou animada com a nova possibilidade, mas pediu um tempo para pensar na proposta, já que neste momento está bastante sobrecarregada, com as entrevistas que tem dado para emissoras de TV de todo o mundo. Ela espera ainda alguma mensagem da Casa Branca, vinda de seu ex-patrão.

Sua ligação com Obama vem de 1969, quando cuidou dele, que na época estava com 8 anos de idade, no período em que sua mãe, Ann Dunham morava na Indonésia. A família foi embora quando a mãe de Obama se casou com seu segundo marido, Lolo Soetoro.

O trabalho de Evie era brincar com Obama, levá-lo e buscá-lo na escola. Ela diz que se vestia de homem e nunca permitiu que o menino a visse como mulher, apesar de a noite sair vestida como “drag queen”.