Publicado em: quinta-feira, 22/01/2015

Trabalhadores do setor aéreo fazem protesto e atrasam voos

Uma medida dos funcionários e trabalhadores do setor aéreo em diversos aeroportos pelo Brasil prejudicou o funcionamento dos aeroportos. Os trabalhadores estão reivindicando por melhores salários e condições de trabalho, por isso realizaram um protesto nos aeroportos brasileiros, medida que resultou em atraso de uma série de voos. A manifestação começou logo cedo e até as 7 horas havia movimentação dos funcionários nos aeroportos de São Paulo, em Congonhas, na grande São Paulo, em Guarulhos, e também nos aeroportos do Rio de Janeiro, no Santos Dumont e Antonio Carlos Jobim.

A manifestação dos funcionários do setor aéreo é generalizada e atinge também o aeroporto internacional em São José dos Pinhais, o Afonso pena, na região metropolitana de Curitiba; em Brasília, o Aeroporto Juscelino Kubischek; em Florianópolis, no Aeroporto Internacional Hercílio Luz; em Ponta Alegre, no Aeroporto Internacional Salgado Filho; em Goiânia, no Aeroporto Santa Genoveva; e em Confins, região metropolitana de Belo Horizonte, no Aeroporto Internacional Tancredo Neves.Trabalhadores do setor aéreo fazem protesto e atrasam voos

A ação começou ainda na noite de quinta feira, sob organização do Sindicato Nacional dos Aeroviários, que contemplam os trabalhadores de companhias aéreas, mas sem contar os aeronautas. A greve foi anunciada na madrugada de quinta também pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas, que incluem os pilotos e também as equipes que embarcam na aeronave. Com essa adesão dos dois sindicatos, todas as decolagens ficaram suspensa entre 6h e 7h. Os dois sindicatos estão mobilizados por reajustes salariais e outras reivindicações.

Os funcionários pedem por melhorias trabalhistas.

Entre as exigências do trabalhos estão o reajuste de 8,5% nos pagamentos além da definição de um piso salarial para profissionais que atuam no chek in. Os aeronautas ainda pedem que as escalas considerem o gerenciamento de riscos de fadiga e ainda folgas que garantam aos profissionais uma vida social normal. Os guichês das companhias aéreas funcionavam normalmente, o atraso era registrado apenas no momento do embarque. Alguns voos chegaram a ser cancelados por conta da mobilização dos funcionários.