Publicado em: quarta-feira, 28/05/2014

Trabalhadores da empresa Latam ameaçam entrar em greve durante a Copa do Mundo

Trabalhadores da empresa Latam ameaçam entrar em greve durante a Copa do MundoFuncionários peruanos da empresa aérea Latam ameaçam entrar em greve durante a Copa do Mundo, caso não seja realizado um acordo entre eles e a empresa, os funcionários reivindicam aumento de salário e também melhorias no ambiente de trabalho.

Caso haja uma paralisação, esta deve prejudicar mais de 3 mil voôs que vem do Peru para o Brasil na Copa, além disso os reflexos dessas paralisações podem ser maiores do que o previsto já que caso haja mesmo uma paralisação nos serviços, os voôs que vem ao Brasil de outras localidades, mas passam pelo Peru, também seriam prejudicados, segundo informações dadas pela Federação Internacional de trabalhadores do Transporte, que é um sindicato que representa os direitos dos pilotos, comissários de bordo e também os mecânicos de aeronaves.

Tendo a notícia sobre a possível paralisação nos serviços dos funcionários peruanos da Latam, trabalhadores da empresa aérea TAM, no Brasil, também se mostraram a favor da greve, caso não haja acordo, a TAM faz parte da empresa Latam, segundo Luis Pedro Lucena, caso não haja acordo no Brasil e no Peru o aeroporto irá parar na Copa do Mundo, Luis é sindicalista do Brasil e fez essas declarações durante uma assembleia ocorrida neste final de semana.

O Ministério do Trabalho do Brasil, em decorrência de toda esta tensão que há entre os trabalhadores, convocou uma reunião com os funcionários e também os representantes da Latam para evitar que a situação se agrave, a intenção do Ministério do Trabalho é encontrar uma saída que seja boa para todos para que esse problema seja resolvido.

Os funcionários peruanos da Latam já estão em reunião com as autoridades de seu País, de acordo com uma comissária de bordo, que também é porta voz do sindicato internacional, as reuniões para negociação dos aumentos salariais já estão acontecendo há pelo menos seis meses, a argentina Dina Feller, declarou ainda que caso não haja acordo entre as partes, eles iram mesmo paralisar seus serviços durante a Copa.