Publicado em: quinta-feira, 06/06/2013

Thor Batista é condenado pela morte de ciclista

Thor Batista é condenado pela morte de ciclista Na tarde desta quarta-feira (05), o empresário Thor Batista foi condenado pelo atropelamento seguido de morte do ciclista Wanderson dos Santos. A juíza da 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, Daniela Barbosa Assumpção de Souza, encerrou o processo condenando o filho mais velho de Luma Oliveira e Eike Batista a prestar dois anos de serviço comunitário, além de ter sua carteira nacional de habilitação suspensa, também por dois anos. O rapaz também terá que pagar uma multa de R$ 1 milhão por homicídio culposo, quando não se tem a intenção de matar.

Na sentença divulgada nesta quarta-feira, Daniela Barbosa justificou que com as provas técnicas apresentadas, os depoimentos colhidos das testemunhas, juntamente com o interrogatório feito com o empresário deu para ter a certeza de que a condenação de Thor Batista seria correta, pois no dia do ocorrido, o rapaz criou riscos proibidos que acabaram ocasionando o acidente e consequentemente o falecimento da vítima.

Segundo a juíza, Thor Batista terá que cumprir a pena alternativa em uma entidade previamente indicada pela Justiça, e terá que desenvolver atividades voltadas para o auxílio na recuperação de pessoas que foram vítimas do trânsito.

A multa aplicada será revertida em gêneros conforme as necessidades da instituição escolhida para receber o benefício. A preferência é do benefício atingir projetos de cunho hospitalar ou que tratem da reabilitação de pessoas que se acidentaram no trânsito.

A magistrada também descartou a defesa do condenado que alegou que sua empresa, Thor é diretor estatutário da EBX, vem atravessando uma série de problemas financeiros.

Na sentença, a juíza relembrou que durante o interrogatório, Thor Batista respondeu que uma indenização de R$ 300 mil teria sido paga a família do ciclista, entretanto, o valor do acordo já tinha sido estabelecido em R$ 1 milhão, o que demonstrou uma confusão e total indiferença do acusado diante os seus gastos pessoais.