Publicado em: segunda-feira, 10/06/2013

Thiago Silva aceitaria reduzir salário para atuar no Barcelona

Thiago Silva aceitaria reduzir salário para atuar no BarcelonaA equipe catalã do Barcelona continua atrás de um zagueiro para que possa reforçar o elenco na próxima temporada. Em primeiro lugar na lista está o brasileiro Thiago Silva que está atualmente no Paris Saint-Germain (PSG), e é visto como sonho de consumo para os dirigentes da equipe. Conforme o jornal Mundo Deportivo, o problema para o negócio seria o alto salário do zagueiro, e por isso o brasileiro aceitaria reduzir os vencimentos atuais em aproximadamente 30%.

Mesmo após esta queda salarial, os dirigentes da equipe catalã continuam reticentes sobre este assunto, pois ele se iria ter um dos maiores salários do time, o que iria acabar com o equilíbrio do pagamento aos atletas que o clube busca ter. Conforme a publicação este foi o grande problema que não fez com que a negociação entre clube e atleta não fosse realizada na metade do ano passado.

A ida de Thiago Silva do Milan ao PSG fez com que o brasileiro tivesse a maior transferência em um zagueiro, junto com Rio Ferdinand, o que totalizou € 42 milhões (R$ 118 milhões). Durante a ocasião o ex-atleta do Fluminense já tinha sido cogitado para atuar junto de Messi, Xavi e Iniesta.

O Mundo Deportivo ainda lembrou que a quantidade excessiva de atletas brasileiros pode ser algo contrário para a contratação do zagueiro que é capitão da seleção brasileira. Após o acerto junto a Neymar, o defensor iria ser o quarto atleta brasileiro do time, isto sem contar Thiago Alcântara, que é filho do brasileiro e tetracampeão Mazinho, que é nascido na Itália, porém é naturalizado espanhol.

O agente Paulo Fernando Tonietto que cuida da carreira do atleta disse que o zagueiro pode diminuir salários para usar a camisa blaugrana, porém disse que dificilmente o atleta deixará a França durante a temporada e lembra que a permanência do capitão da seleção brasileira no PSG não irá depender de que o técnico Carlo Ancelotti continue ou não na frente da equipe.