Publicado em: terça-feira, 06/09/2011

Terceiro dia de julgamento de Mubarak avalia depoimentos de autoridades policiais

O julgamento do ex-ditador egípcio, Hosni Mubarak, foi retomado nesta segunda-feira (05) com os depoimentos de autoridades da polícia que atuaram durante as operações de repressão aos levantes realizados em fevereiro pelos manifestantes. Mubarak está sendo acusado pela responsabilidade de tais repressões que causaram a morte de manifestantes enquanto estavam protestando. No caso, esta audiência tratava específicamente sobre a interferência do governo nos protestos do dia 11 de fevereiro, quando Mubarak se viu forçado a renunciar.

De acordo com uma das autoridades, o assessor de comunicação da polícia, Hussein Said Mursi, os policiais teriam comentado que usaram armas automáticas contra os manifestantes, mas ele não se recorda de ordens federais para que tal medida fosse empregada. Com isso, Said não responsabilizou ninguém específico no seu depoimento ao considerar que não sabia a origem da orientação para usar tais armas. Agora, os outros integrantes do quadro de autoridades devem prestar depoimentos para tentar descobrir se Mubarak está vinculado com essa abordagem ou não.

As estatísticas oficiais levantadas para descobrir o número de mortos mostra que cerca de 850 mortos. Caso a relação entre Mubarak e a ordem para abrir fogo contra os manifestantes seja comprovada, o ex-presidente pode ser condenado à pena de morte.

A audiência desta segunda-feira é a terceira sessão realizada para analisar o caso. Da mesma maneira como aconteceu nas ocasiões anteriores, Mubarak compareceu deitado em uma maca de hospital. O ex-presidente estava internado por consequência de complicações cardíacas e agora especula-se que, além dos problemas iniciais,também tenha câncer.