Publicado em: terça-feira, 11/02/2014

Televisão em família: Uma prática cada vez menos frequente

Assistir TV em família está cada vez menos frequenteReunir a família para acompanhar as novelas é algo que faz parte do cotidiano da grande maioria dos brasileiros. Milhões de pessoas fazem apostas e tentam adivinhar o que acontecerá nos próximos capítulos. No entanto, parece que esta prática tem sido cada vez menos frequente e poucas atrações têm atraído a atenção de toda a família ao mesmo tempo. De acordo com os dados do IBOPE, as novelas atuais da TV Globo têm batido recordes negativos e isso não é de hoje.

Iniciada na segunda-feira passada (3), a novela das 21 horas da Rede Globo, “Em Família”, é a última novela do autor Manoel Carlos, e fechou a primeira semana como a novela com o pior IBOPE das últimas 20 novelas da Rede Globo. Em Família não conseguiu manter os números da antecessora “Amor à Vida” de Walcyr Carrasco que no último capítulo, marcou 48 pontos no IBOPE.
Com advento do surgimento de novas mídias e o crescimento exponencial da televisão por assinatura no Brasil, a prática de reunir a família para assistir a novela não tem sido tão frequente como antigamente. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os serviços de TV por assinatura no Brasil registraram um crescimento de 11,13% apenas em 2013, atingindo 18 milhões de assinaturas em dezembro do ano passado.

Os canais por assinatura permitem ao telespectador maiores opções e uma programação mais segmentada, de modo que o homem pode acompanhar os campeonatos e corridas do mundo inteiro, as crianças possam assistir inúmeros desenhos e as mulheres tenham a oportunidade de assistir programas voltados ao universo feminino. Oportunidade que não é muito ofertada pelas emissoras abertas.
O contra-ataque das emissoras brasileiras foi trazer o jovem para a televisão, tal como trazer as redes sociais para os televisores, possibilitando maior interatividade com o público. O que não deixa de ser ótimo artifício para atrair telespectadores.