Publicado em: terça-feira, 13/03/2012

Teixeira deixa presidência da CBF e é substituído por Marin

Depois de 23 anos no comando da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira renunciou ao cargo de presidência e também a participação no Comitê Organizador Local (COL) do mundial de 2014. Teixeira enviou uma carta a CBF avisando da sua demissão do cargo. Esse desligamento do ex-presidente pode estar relacionado com os problemas entre o governo e a Fifa que vinha se tornando muito comuns nos últimos meses e estavam relacionados às obras e preparativos em andamento no país para receber o mundial.

Teixeira escreveu no comunicado que deixava a presidência da entidade com “sensação de dever cumprido”. O ex-presidente estava no comando desde 1989. A carta foi lida por José Maria Marin que agora assumirá a vaga que era de Teixeira e ficará no cargo até 2015. Teixeira argumentou que trabalhar com futebol no país é difícil porque sempre que acontece algum problema isso é relacionado diretamente com a desorganização de um evento. Apenas quando se ganha que se exaltam as qualidades.

Marin ocupa também cargo no COL

O novo presidente da CBF deve permanecer no cargo até final de 2015, quando terminaria o mandato de Teixeira. Marin, que tem 79 anos, também está responsável pelo Comitê Organizador Local (COL) do mundial. Pelas regras do regimento interno da Fifa quem assume o cargo em casos de renúncia é o vive-presidente das regionais que é mais velho. Neste caso foi Marin. Mas o problema é que ele não tem unanimidade entre seus colegas das regionais e esse impasse pode pedir a realização de eleições antes do tempo previsto.

Ontem Marin já deu sua primeira entrevista aos jornalistas como presidente da CBF. Marin afirmou que vai dar continuidade aos serviços que estavam sendo feitos por Teixeira quando presidente da entidade. O novo presidente disse que não quis participar do pedido de demissão das regionais depois da renúncia do ex-colega.