Publicado em: segunda-feira, 24/02/2014

Tecnologia pode ajudar a reduzir violência com armas de fogo

Tecnologia pode ajudar a reduzir violência com armas de fogoO uso de novas tecnologias pode ser eficaz na redução de violência com armas de fogo, é o que dizem alguns especialistas norte-americanos. Medidas inteligentes podem impedir que criminosos e pessoas com deficiências psíquicas tenham acesso a munição.

Com a finalidade de diminuir o número de óbitos nas estradas, medidas de conscientização no trânsito foram tomadas nos Estados Unidos, além de atrelar novas tecnologias aos veículos e também ao monitoramento. De acordo com o pesquisador da Universidade Johns-Hopkins, Daniel Webster, tais medidas deram certo no trânsito e poderiam funcionar tão bem quanto os assassinatos por armas de fogo.

Um problema freqüente nos Estados Unidos é o número de crianças feridas acidentalmente por meio de armas de fogo. Já é possível bloquear a arma a quilômetros de distância, ou então o gatilho só pode ser acionado pelo dono do equipamento.

Grande parte das armas “inteligentes” é fabricada na Europa, sobretudo na Alemanha e França, nos Estados Unidos o governo é um tanto quanto relutante sobre o assunto. Recentemente algumas armas foram autorizadas pelo Congresso norte-americano para que sejam comercializadas no país.

De acordo com o Webster, o Departamento de Justiça dos EUA iniciou pesquisas para entender os avanços tecnológicos e quais medidas devem ser tomadas pelo governo para reduzir no número de mortes por armas de fogo.

Um problema recorrente nos Estados Unidos é a quantidade de serial killers e atiradores, nos últimos anos, universidades e até mesmo escolas foram invadidas por pessoas que sem hesitar tiraram a vida de centena de crianças.

Outro fator que deve ser levado em consideração é a falta de rigidez no controle de antecedentes penais de quem estiver interessado em adquirir um projétil de fogo. Não há um acompanhamento psicológico, as pessoas nos Estados Unidos pegam autorização, além de não fiscalizar quem conseguiu o porte de armas.