Publicado em: quarta-feira, 30/05/2012

Taxa de adesão do Sem Parar deixará de ser cobrada em São Paulo

A partir do dia 15 de junho, os usuários do serviço Sem Parar no estado de São Paulo não precisarão mais pagar pela taxa de adesão ao serviço. O anúncio da novidade foi feito pelo governador do estado, Geraldo Alckimin, na segunda-feira (28).

Hoje, quem vai aderir ao Sem Parar, serviço de pedágio eletrônico, precisa pagar uma taxa no valor de R$ 66,72.

A taxa para a transferência de etiqueta eletrônica entre veículos, a tag, também não será mais cobrada e a mensalidade sofrerá redução. Atualmente, elas chegam a custar R$ 15,76 e com a redução passarão a custar R$ 8.

De acordo com Alckimin, haverá a abertura do mercado para que várias empresas possam também participar do pedágio eletrônico com o objetivo de reduzir os custos e fazer assim que mais pessoas tenham acesso a este serviço.

Ainda segundo o governo, a diminuição dos preços aconteceu porque a empresa DBTrans começou a atuar no mercado e a oferecer os mesmos serviços que são prestados pelo Sem Parar. O pedágio via tag dessa empresa levará o nome de Auto Expresso, nome este que já vem sendo usado em outras rodovias brasileiras. A empresa também contará ainda com um sistema chamado Auto Expresso Livre, que funcionará como um pré-pago.

Paralelo a isso, o Sem Parar também vai começar a oferecer um serviço pré-pago nos mesmos moldes, onde a carga mínima será de R$ 25, com taxa de recarga a R$ 4, sem que seja necessário o pagamento de qualquer taxa de adesão.

A DBTrans, empresa responsável pelo Auto Expresso e pelo Auto Expresso livre iniciou na segunda-feira (28) a implantação do seu sistema em 144 praças de pedágio no estado de São Paulo e o trabalho deve estar concluído em até 3 meses. Segundo a agência que regula o transporte no estado, a Artesp, a previsão é de que ainda em 2012 outras empresas comecem a oferecer seus serviços em São Paulo.