Publicado em: quinta-feira, 12/01/2012

Talibãs anunciam maior abertura política, mas continuam com jihad

Os talibãs, integrantes do movimento afegão que busca instalar um regime islâmico no país, emitiu comunicado nesta quinta-feira (12) afirmando que pretendem aumentar a via política para chegarem a um acordo com a comunidade internacional, mas vão continuar com a jihad, nome da Guerra Santa, e também com as atividades bélicas. Em janeiro o grupo havia declarado pela primeira vez que tinha a intenção de abrir um escritório no emirado islâmico do Catar, onde ficariam representantes para tratar da negociação internacional.

O comunicado é o primeiro ato de abertura política desde 2001, quando a guerra do Afeganistão começou com a invasão das tropas dos Estados Unidos no país. Em 2011, o presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou que todos os soldados retornariam ao país, medida que pôs fim ao conflito que completou dez anos. Para os talibãs, o período em que vêm defendendo a jihad conta com cinco anos anteriores ao início do conflito, pois foi quando o grupo estava governando o país.

No comunicado, o grupo afirma “os talibãs desenvolvem a jihad há uma década e meia para estabelecer um governo islâmico. Para alcançar este objetivo e dar paz e estabilidade ao Afeganistão, o Emirado Islâmico do Afeganistão (os talibãs) intensificou recentemente os esforços políticos. Atualmente há negociações com a comunidade internacional para resolver a situação. Mas isto não quer dizer abandonar a jihad ou aceitar a Constituição da administração de Cabul”.

O governo do Afeganistão e a administração dos Estados Unidos deram sinal verde para que as negociações sejam feitas.