Publicado em: terça-feira, 28/10/2014

Suzanne Von Richthofen se casa na penitenciária de Tremembé com ex de Elize Matsunaga

Suzanne Von Richthofen se casa na penitenciária de Tremembé com ex de Elize MatsunagaCondenada pelo assassinato dos pais a 38 anos e meio de prisão, Suzanne Von Richthofen agora parece tentar reescrever sua história de vida, mesmo estando na penitenciária, ela que durante o período em que está reclusa, se tornou evangélica, e é apontada como a principal conselheira das demais presas, agora inicia um novo capítulo em sua vida, Suzanne se casou com Sandra Regina Gomes que já foi casada com Elize Matsunaga.

A união entre as duas ocorreu no mês de setembro e contou com a assinatura de um documento onde as duas reconhecem que estão em relacionamento afetivo, o documento é como uma certidão de casamento e através da assinatura dele o casal ganha o direito de ir para uma cela que é destinada para casais que desejam viver juntos.

A esposa de Suzanne é Sandra Regina Gomes que foi condenada a 27 anos de prisão por conta do sequestro de uma empresária de São Paulo, Sandra já havia se casado no começo do ano com Elize Matsunaga, que está presa pelo assassinato e esquartejamento de seu então marido, Marcos Kitano Matsunaga, através de informações o relacionamento de Elize e Sandra chegou ao fim por causa de Suzanne.

Por conta do casamento com Elize, Sandra teve de esperar seis meses para poder oficializar a união com Suzanne, já que em caso de separação do casal, é necessário que se aguarde o período de seis meses para que a detenta possa retornar a cela destinada para casais, Elize e Sandra trabalhavam na fábrica de roupas do presídio, onde Suzanne ocupa a chefia, de acordo com informações, a amizade foi desfeita por conta do triângulo amoroso que havia no local.

Suzanne deixou de brigar na Justiça por sua parte na herança deixada por seus pais, mas ainda tenta reatar o relacionamento com seu irmão, o novo relacionamento de Suzanne foi apontado como razão de a moça ter se recusado a ir para o regime semiaberto, por temer uma possível exposição do relacionamento.

Caso Suzanne optasse em ir para o regime semiaberto, como seus advogados tentavam desde o fim de 2008, ela teria de ir para outra prisão, já que em Tremembé, só é permitida a permanência de presas em regime fechado, indícios levam a crer que por conta do relacionamento, Suzanne pediu para a juíza adiasse a decisão de leva-la para o regime semiaberto.