Publicado em: quarta-feira, 29/02/2012

Suspeito de ataque em escola de Ohio atacou sem planejamento

O jovem, de 17 anos, suspeito de ter atirado contra os colegas de uma escola secundária de Chardon, no estado de Ohio, deixou três mortos e outros dois estudantes feridos. De acordo com um promotor que acompanha o caso, o suspeito teria atirado aleatoriamente.

O suspeito foi identificado como T. J. Lane e compareceu na tarde de terça-feira na sua primeira audiência num tribunal do Condado de Geauga. Lane está mantido preso enquanto não sai a acusação formal. O depoimento foi fechado à imprensa.

Segundo autoridades hospitalares, a terceira vítima morreu no hospital na manhã de ontem, terça feira. A informação veio do próprio MetroHealth Medical Center, onde o jovem ferido estava recebendo tratamento.

“Demetrius era um jovem feliz que amava a vida, sua família e seus amigos”, declarou a família. “Vamos sentir muito sua falta, mas estamos orgulhosos porque poderemos ajudar outros através da doação de órgãos”, acrescentou a família.

A família do jovem suspeito pelos disparos afirmou, por intermédio do advogado, que estava com dificuldades para entender o que tinha acontecido. O atirador disparou no refeitório da escola na segunda feira (27), antes de um professor do local persegui-lo.

As vítimas

Daniel Parmertor, de 16 anos, faleceu já na segunda feira. Russel King Jr. teve morte cerebral declarada na terça, apesar de ainda possuir batimento cardíaco, explicou o administrador do gabinete do Centro Legista do Condado de Cuyahoga, Hugh Shannon.
O tiroteio ocorrido na Chardon High School foi o pior em escolas americanas em 11 meses, além de ser o pior em Ohio desde o final de 2007, de acordo com o Centro Brady de Prevenção à Violência Armada.

Os colegas de classe descreveram Lane como um “marginalizado”, que era vítima de perseguição por parte de outros colegas. Também revelaram que o jovem já havia publicado advertências no Twitter e outros textos alarmantes no Facebook.

O estudante Nate Mueller descreveu ter visto um de seus colegas sangrando em cima da mesa e outro caído no chão sobre uma poça de sangue. “Foi terrível. Tinha sangue, gente gritando, todo mundo estava correndo em diferentes direções e tentando de sair”, relatou.

Um professor da escola tentou perseguir o garoto enquanto a cidade, que tem apenas 5 mil pessoas, foi bloqueada e as vítimas estavam sendo levadas ao hospital. “Estamos consternados por esta tragédia sem sentido. Danny era um menino que tinha um futuro brilhante pela frente. A família está arrasada com esta perda”, acrescentou a família de Parmertor em um comunicado.

A família do atirador divulgou uma declaração, oferecendo “muito sentidas e sinceras condolências”. “A família está devastada”, disse o advogado da família, Bob Farinacci, em um comunicado.