Publicado em: quarta-feira, 26/06/2013

SUS terá 35 mil vagas para médico até o ano de 2015

SUS terá 35 mil vagas para médico até o ano de 2015O Ministério da Saúde pretende criar, até o ano de 2015, 35 mil vagas destinadas a médicos para atender pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A informação foi divulgada na terça-feira, dia 25, pelo Ministério da Saúde. Segundo o Ministério, as vagas serão abertas através de investimentos feitos pela própria pasta. O índice também pode aumentar com o uso das verbas que serão aplicadas por municípios e estados para que seja ampliada a rede de atendimento.

Para que as vagas sejam preenchidas, Alexandre Padilha, ministro da Saúde, informou que será necessário criar esforços para aumentar o número de médicos formados no Brasil além de contratar médicos de outros países como um a alternativa. Ele explica que o país precisa de número maior de médicos especialistas em algumas áreas, como psiquiatria, pediatria e anestesiologia. O ministro também divulgou, através de entrevista coletiva, que 12 mil vagas serão abertas até 2017 para residência médica.

Na ocasião, o ministro Alexandre Padilha também divulgou levantamento do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), que pretende estimular nos médicos a mudança para áreas do interior do Brasil. Atualmente, são 3,5 mil médicos que atuam na atenção básica de saúde. Pelo programa, 39% dos médicos foram destinados para áreas de periferia de capitais e também das regiões metropolitanas, 28% deles foram para áreas rurais com intermediário ou elevado índice de pobreza. 22% dos médicos foram para a áreas de periferia de cidades de porte médio localizadas no interior do país e outros 10% foram para municípios que têm mais de 100 mil habitantes.

Uma nova convocação será feita pelo Provab e será destinada para 500 dentistas e mil enfermeiros. Para os enfermeiros, a prioridade de contratação será para regiões metropolitanas e capitais do país que tenham população acima de 100 mil habitantes. Para os dentistas, a prioridade de convocação será para as regiões que tenham níveis de pobreza elevada e intermediária além de moradores nas áreas rurais.